Conto erótico – Mulher Policial

ESPOSA POLICIAL (por sub joão carlos)

Conto maio real, meio mentira… rssssss… Só fantasiando!


Sou casado com uma policial parada dura… No trabalho todos morrem de medo dela, ela é super mandona e todos a respeitam, pois sabem que se pisarem na bola, o couro de alguém vai ferver…
Em casa a coisa não é muito diferente. Somos casados há 1 ano e, desde a época do namoro, ela sempre se mostrou superior e autoritária. Depois que casamos, a coisa só “piorou”… Ela resolveu que eu sou dela e ela faz o que quiser comigo, e pronto! Eu apenas a obedeço como o seu cachorrinho. Ela faz de mim de gato e sapato: manda eu realizar seus desejos, quem faz os serviços de casa sou eu, ela me humilha e esfrega na minha cara que quem manda é ela!
Logo que casamos, ela comprou um cinto de castidade e me obriga a usar todos os dias. Diz que é pra eu não a trair nem mesmo em pensamento, pois sempre que fico de pinto duro, tenho uma dor terrivel, e logo fico mole de novo. Tentei argumentar com ela uma vez dizendo que sempre que tento ficar de pinto duro é por que estou pensando nela, mas ela respondeu dizendo que quando ela quiser que eu pense nela e fique de pau duto, ela abre o cadeado. Sempre passo uns 20-30 dias trancado antes que ela abra o cadeado e me faça gozar. Algumas vezes, ela abre o meu cadeado, brinca com meu pinto um pouco e coloca gelo para que eu fique mole e entre no cinto de novo.
Mas o que aconteceu dessa vez foi algo que superou em tudo o seu autoritarismo sobre mim:
Já estava trancado no meu cinto de castidade há quase 20 dias e estava morrendo de vontade de gozar. Quando ela chegou em casa, me deu um beijinho na boca e entrou pro quarto pra tomar banho. Quando saiu do quarto, estava vestida com um uniforme erótico super sensual de policial. Uma sainha de couro curtissima, um top branco escrito POLICIAL, um salto muito alto preto e uma cinta-liga daquelas de cordinha que vai amarrando na perna.
Imediatamente tentei ficar de pinto duro, mas o cinto me impediu. Ela deu uma risadinha e disse:
-De quatro mocinho!!! E pelado!
Imediatamente fiquei de quatro. Ela começou a bater na minha bunda com uma palmatória até que minhas pernas ficassem bambas. Deu 50 palmadas em cada bunda, sempre mandando que eu contasse cada uma e agradecesse.
Quando terminou o spanking, eu ainda de quatro, montou em cima de mim e deu uma palmadinha na minha bunda, mandando que eu passeasse pela casa e a deixasse no quarto. De vez em quando, batia com força na minha bunda, dizendo:
-Mais rápido, meu burrinho de carga… você vai apanhar até ficar domadinho.
Ia apressando o passo, até que ela “cansou” da brincadeira e mandou que eu a deixasse no quarto.
Mandou que eu me deitasse na cama, me algemou com as mãos pra tras e colocou dois pregadores nos meus mamilos… gemi de dor. Pegou uma mordaça em forma de pinto e mandou eu abrir a boca. É realmente humilhante ser “calado” por um pinto de borracha, mas não ousei desobedecer e ela me amordaçou e disse:
-Hoje não vou te vendar, pois quero que você veja tudo… Me diga uma coisa, meu lindinho, você está com vontade de transar?
Balancei a cabeça dizendo que sim…
-Está com muita vontade mesmo de transar? De ter uma transa violenta e animal comigo?
Balancei ansioso a cabeça afirmativamente… será que eu seria solto naquela noite?
-Você faria qualquer coisa para transar comigo?
Novamente fiz sinal que sim…
-Pois então está combinado… Hoje nós vamos transar. Mas você vai ter que merecer… vai ter que se comportar e ser obediente… Vai ter que fazer tudo o que eu quiser e não negar nadinha, tudo bem? Você realmente está disposto a fazer TUDO o que eu mandar? Depois não pode voltar atrás hein??
Fiz que sim, sem pensar duas vezes…
-Pois feche os seus olhos e deixe fechado até eu mandar… Se você abrir antes de eu mandar, nosso trato está desfeito…
Fechei imediatamente os olhos e mantive fechado… Fiquei imaginando o que iria acontecer… Fiquei imaginando como seria a nossa transa, que posições iríamos fazer… Seria delicioso gozar depois de tantos dias trancado. Demorou alguns minutos e eu já não estava mais aguentando….
-Pode abrir os olhos queridinho…
Quando abri, não acreditei no que vi… Minha bela esposa estava ainda com sua fantasia de policial, tinha tirado apenas a saia e estava vestindo a nossa borboletinha de vibrar e por cima um consolo de cintura… O mesmo que eu usei tantas vezes para apagar o seu fogo, naqueles dias que eu estava trancado e ela queria transar.
-E ai? O que achou?
Tentei murmurar dizendo que ela estava louca, ou algo assim, mas meus sons foram abafados pela mordaça.
-Como eu disse, você vai fazer tudo o que eu quiser… E hoje eu quero transar muuuuuuuuuito!!!
Tentei fugir, mas estava algemado, tentei gritar, reclamar, mas sem sucesso…
Ela ria bastante e foi para o meu lado, fazendo um cafuné na minha cabeça…
-Não adianta reclamar meu lindinho… hoje eu vou comer a sua bunda e não tem nada o que você possa fazer…
Quis chorar, mas vi que não ia adiantar…
-Eu quero te fazer algumas perguntas…. se eu tirar a sua mordaça, você promete que fica caladinho e responde apenas o que eu disser?
Balancei a cabeça afirmativamente.
Ela tirou a minha mordaça e perguntou:
-Querido, não há nada o que você possa fazer pra impedir que eu coma a sua bundinha. Eu sei que vai doer um bocado, então quero te fazer uma proposta…
-Poxa amor, eu não quero fazer isso… vai doer muito…
-Você disse que iria apenas responder as minhas perguntas… Quer ouvir a minha proposta ou quer que eu te amordace de novo?
-Quero ouvir – falei baixinho
-Fale mais alto meu amor… não estou te ouvindo…
-Eu quero ouvir o que você, digo a Senhora tem a dizer…
-Agora sim…. pois bem… eu sei que vai doer muito a sua bunda quando eu te penetrar com o consolo… então acho que o seu cuzinho deveria ser “preparado” pra receber o meu consolo primeiro… Nós temos dois plugs anais, um relativamente fino e o outro beeeem grosso, mas nada comparado ao consolo… Se você quiser, posso deixar você ficar alguns minutos com o plug fininho, depois passar mais alguns minutos com o grosso e depois eu comeria a sua bundinha e você não iria nem sentir dor… O que acha?
-Eu acho que eu não quero nem uma coisa e nem outra…
-Meu amor, você não está entendendo… Que eu vou comer a sua bunda hoje, eu vou! Cabe a você escolher como será…
Vi que não ia ter jeito e aceitei…
-Tá bom amor, quero que seja gradativamente…
-Não acho que esteja muito convincente… Acho que vou partir logo pro consolo… Acho bom você implorar pra que eu coloque o plug na sua bunda primeiro… Se você for convincente, eu topo…
-Minha Rainha, por favor, coloca o plug na minha bunda… Faça essa caridade com o seu escravo… Não vou aguentar receber o seu consolo, sem antes ser alargado…
-Agora sim!! Fique de quatro, que vou te presentear com o consolo fininho… Mas antes, deixa eu colocar de novo sua mordaça
Fiquei de quatro e ela derramou lubrificante no meu cu e foi massageando… Enfiou um dedo primeiro devagar, depois ficou fazendo um movimento de vai-e-vem, só de sacanagem… Retirou o dedo de uma vez e começou a forçar o plug… Foi forçando, forçando, até que ele entrou todo de uma vez.
-Prontinho… missao cumprida. Vista uma cueca apertada e vá fazer meu jantar.
Fui fazer o seu jantar com aquilo plugado na minha bunda… e ela na sala vendo TV ainda vestindo o consolo.
Preparei todo o jantar daquele jeito. Quando estava pronto, mandou que eu fosse pegar o plug maior e ficasse de quatro. Retirou o plug pequeno de uma vez, sem pena, e foi metendo o maior. Demorou um pouco, mas entrou…. Senti realmente muita dor. Colocou de novo a cueca e fomos comer. Comemos juntos como se nada tivesse acontecendo.
Quando terminamos de comer, olhou pra mim com uma cara de safada e disse:
-Agora você é meu… já pro quarto!!!
Fui pro quarto meio cabisbaixo.

Ela tirou minha cueca, retirou o plug e…… transamos por quase 30 minutos.