2084a

Festa na piscina: universitários à deriva!


Quando se juntam três universitários com sete universitárias… os três quase morrem!
(escrito por Kaplan)
É amigos e amigas, vou narrar o que Meg conseguiu ver quando se reuniram, no sítio de uma colega delas, os três amigos/amantes que já conhecemos – Virgilio, Julio e Gabriel – com as três que sempre andavam com eles – Meg, Rejane e Lúcia – e mais quatro colegas delas, Anita, Priscila, Caroline e Monika.

Era a primeira vez que este grupo de dez pessoas se reunia. E, a princípio, o sexteto que já estava habituado a farras ficou meio receoso… como se comportariam as quatro meninas que ali estavam pela primeira vez?
 A casa era dos pais de uma delas, da Priscila, mas eles não estariam presentes. Estava tudo por conta dos dez. 
Que grupo maravilhoso…. (foto: Kaplan)

Então… quando chegaram e foram para perto da piscina, os três ficaram de bermudas, e as três de biquíni, assim como as quatro. Muita conversa, muita brincadeira, fotos tiradas, muita cerveja rolando, o clima foi esquentando nos dois sentidos, pois, além de todos estarem bem “quentes”, o sol estava de rachar…

Quem daria o primeiro passo, se é que haveria esse primeiro passo? Curiosamente, foi a Priscila, que abraçou-se com o Julio, pediu pra Meg tirar uma foto deles e Meg viu que ela levou a mão pra trás e pegou no pau dele. Como se aquilo fosse um sinal, o Julio tirou o sutiã dela e logo estavam as sete de topless. 

E Meg resolveu arriscar, chamou o Virgilio que estava nadando, ele veio até a parte rasa, ela então, abaixou a bermuda dele e mandou ver num boquete que foi aplaudido pelas demais. Pronto. O gelo fora quebrado e todos já sabiam que ia rolar sexo o dia inteiro. Mas… sete garotas para três rapazes? 

As “novatas” logo agarraram os três. Virgilio estava comendo a Priscila, em pé, Julio era cavalgado pela Monika e Gabriel pela Anita. Meg e Rejane começaram a se esfregar, Caroline olhou e não achou ruim quando Lúcia começou a passar a mão em seu corpo e a beijar seus seios. Pronto… todos ocupados e uma enorme orgia tinha lugar ali, com gemidos, risos, e gozos… 
Elas são gostosas… muito gostosas!

Passado este primeiro momento, pausa para mais cerveja, para nadar, para comer alguma coisa.

E depois foi a vez de Meg pegar o Gabriel, Rejane pegou o Virgilio, Lúcia pegou o Julio. As demais ficaram olhando e se masturbando o que quer dizer que as sete gemiam e os sons eram divinos…

Nova pausa para os cavalheiros se recuperarem, afinal ainda havia uma moça que não tinha experimentado os cacetes deles… Caroline ficou olhando, desfilando, para ver qual pica crescia primeiro e foi o Virgilio que o demonstrou, então ela foi chupá-lo e cavalgá-lo. 

Gabriel e Julio tiveram o prazer de ver seus paus chupados por duas. Meg e Monika chupavam o Gabriel, e Priscila e Anita o Julio. Rejane e Lúcia… abraçaram-se e começaram a se beijar, a se chupar, fizeram um belo 69.

Ao me contar, Meg lamentou que não houvesse mais homens. 

– Por que não me convidaram? Eu iria…

– Pois é, da próxima vez vou organizar melhor essa farra nossa…

threesome1

Ela, ele e eu

Você me avisou que me esperaria no hotel com uma surpresa. Quando cheguei lá, um rapaz bem vestido e educado abriu a porta do quarto para que eu entrasse. Entrei e te vi sentada numa poltrona ao fundo, toda de preto. Uma música suave tocava no estéreo e um perfume agradável no ar. Fui até você e nos beijamos. Te perguntei se ele era a surpresa e você respondeu que sim. Sorriu, foi até dizendo: “Ele não é uma gracinha?” e me perguntou se também gostava dele e começaram a dançar juntinhos.



Mas logo você o deixou e voltou para tua poltrona, pegou seu cálice de vinho, ele ficou na nossa frente ainda a dançar. Eu sentei no braço da poltrona ao teu lado e ficamos olhando a dança dele. Eu tinha certeza que ele faria um striptease, mas não sabia o que viria a seguir.




Ele tirou o paletó e a gravata e veio junto a mim e me puxou pra dançar com ele. Logo juntos ele tirou meu paletó e minha gravata e começamos a dançar os dois pra você. Desabotoamos nossas camisas e você amando estar vendo isso. Um tirou a do outro e jogamos as camisas pra você… Ele se ajoelhou pra tirar meus sapatos e em segundos tirou os dele e a calça, vindo me ajudar com a minha. Você não tirava os olhos de nós e gostou quando ele tirou a minha calça e esfregou o rosto no meu pau sob a cueca. Vendo que você estava muito excitada, deixei ele tirar minha sunguinha… Ele a desceu pelas minhas pernas e logo colocou meu pau na boca, me chupando.

Eu estava de pau duro porque você estava ali olhando para nós e visivelmente excitada! Enquanto ele me chupava, você se levantou e veio até nós, afagou a cabeça dele de joelhos na minha frente e me beijou na boca. Te abracei e ele se levantou e te abraçou por trás. Começamos os dois a te despir… ele passava as mãos em você e eu a língua e assim te livramos do vestido, te deixando só de salto e meias, já que sua calcinha ele abaixou por trás enquanto eu tocava sua buceta pela frente.



Chupei teus seios e ele por baixo chupava tua buceta. Foi ele que segurou meu pau e levou até a tua buceta. Trouxe uma banqueta pra você apoiar a perna pra eu te fuder ali em pé. Ele começou a brincar com você e comigo. Passava as mãos em nós e metia os dedos no seu cuzinho e no meu. E eu te fudendo a buceta. Você com cara de puta safada adorando a sacanagem, com ele segurando você por trás e mexendo nos teus seios e meu pau na tua buceta, você começou a gozar. E ficou toda mole com o orgasmo… mas sussurrou no meu ouvido: “Fode ele pra eu ver?” E aproximou ele de mim.

Ele beijou minha boca e desceu os lábios lambendo meu corpo até meu pau. E você sentada na poltrona falou: “Come ele meu puto!” E ele olhou pra você e se apoiou na banqueta com a bunda virada pra mim. Você abriu as pernas e começou a se tocar nos olhando, enquanto eu começava a meter no cu dele, bem ali na tua frente.



Você ficou louca de tesão vendo os dois fudendo e falou que ele seria nosso cachorrinho. Ele gostou tanto da ideia que ao ouvir isso começou a gozar. Eu olhei pra você e mandei você vir até o meio da sala onde estávamos. Você veio bem obediente. Te mandei ficar de quatro ao lado dele, afastei tuas nádegas e meti no teu cuzinho.



Você pedia pra eu meter fundo em você e eu fazia isso com nosso cachorrinho bem embaixo de você. Eu metendo e ele chupando teus seios, mas depois ele ficou entre tuas coxas, na direção da tua buceta. O nosso cachorrinho queria lamber tua buceta enquanto eu metia no teu cu

Você delirava de muito tesão… E ainda tentava animar o pau dele, melado da gozada, mas não correspondia muito as suas chupadas, afinal ele preferia que eu chupasse ele, mas naquele momento você que começou a gozar… intensamente.



E ficamos os três ali quando você me contou que tudo tinha sido filmado. Você ficou preocupada de falar, com medo que eu não gostasse, mas adorei. Adorei saber que tudo havia sido filmado. E ele te perguntou se iríamos nos encontrar mais vezes…  ele prometeu que na próxima vez daria um jeito de te comer também, pra fazermos uma dupla penetração com você.


Outro dia ele te telefonou e pra perguntar perguntou se topávamos transar num clube de swing que tinha acabado de inaugurar. Ele conhecia um dos donos e eles precisavam de alguém disposto a transar ali pra incentivar os outros clientes a fazerem o mesmo. Você topou na hora. Ele perguntou se você não se importaria em ficar nua na frente de outras pessoas e você disse que não, que adoraria fazer isso lá, na frente de todo mundo.

A Grande Festa

A conversa começou na cama, logo depois de uma longa trepada, abraçados como amantes que eram, ela comentou:
– Hummmm, adoro estar com você. – e aconchegou-se nos braços dele.
– Que bom – disse beijando-a na testa – estava aqui pensando se você gostaria de ir a uma festa na casa de amigos. 
– Claro querido! 
– São poucos convidados, apenas casais 
– Hummm! – ele riu por esse segundo gemido seguido dela – Claro que gostaria, basta estar com você. O que acontece lá? 
– Você vai ver.

Ela se vestiu lindamente e ele a pegou na hora marcada. Chegaram à uma linda e grande casa onde foram recebidos por um casal simpático e elegante. Ela observava tudo com interesse e estava muito curiosa com o mistério que cercava a festa. Depois que todos chegaram e já estavam com suas bebidas, o anfitrião perguntou a ele se poderia apresentar sua convidada. Ele se levanta, lhe dá a mão e ela também se levanta. A conduz ao centro da sala.

 – Essa é a Katy… – fez uma pausa antes de falar pausadamente – A minha cadela. 

Ela se espantou dele a chamar assim em público, mas gostou. Ela gostava de ser chamada assim. Pegou a mão estendida dele e se levantou. Ficaram onde todos podiam vê-los. Ele então a virou de costas pra eles e abriu o zíper do teu vestido. Ela sentiu um arrepio percorrer seu corpo e ele fez com que o vestido caísse no chão aos seus pés. Ele a virou pra que pudessem aprecia-la. Por trás dela, abriu o fecho do sutiã e o tirou, deixando que agora vissem seus seios. Ela usava uma calcinha pequena presa por dois laços, um de cada lado. Ele a mandou soltá-los. Inexplicavelmente, pra ela, estava adorando se exibir. Ele estendeu a mão e ela entregou a calcinha. Ficou nua, só de salto alto e meias e enquanto eles a apreciavam, ele caminhou à sua volta tirando a própria roupa. 

Tirou tudo até ficar nu. Ficou atrás dela e bateu em suas nádegas. A segurou pelos cabelos e a faz ajoelhar-se na sua frente. Colocou o pau na boca e ela começa a chupa-lo. Seu pau cresce naquela boca que o chupa com tesão. 

Alguém pergunta se ela está excitada e ele diz que devem ver se você está ou não. A anfitriã se aproxima, se agacha e coloca os dedos na buceta da cadela dele. E os tira da buceta, levando-os os dedos à boca e diz para os outros à volta deles:
 – A cadela dele está molhada! – Ela volta e se ajoelha ao lado dela – Molhada de muito tesão.

Diz que também quer provar do pau dele, que claro, a deixa provar, mas ela abre a blusa, mostra os seios e pergunta: 
– Tua cadela pode me chupar? 

Ele manda a cadela beijar os seios dela. Outra mulher se aproxima deles e fica bem perto dele, o beija na boca e pede: 

– Sua cadela também pode me chupar?
 – Chupa cadelinha! – diz pra ela. 

A mulher tira a mini saia e abre as pernas em pé pra que a cadela de joelhos chupe a buceta dela. A anfitriã para de chupar, levanta e diz: 
– Queremos ver você metendo na tua cadela. 

Ele a leva até a mesa de centro, onde havia tirado tudo de cima e a coloca ali em cima, de quatro. Várias mãos tocam seu corpo. Ele se aproximou por trás e a ouve murmurar: 

– Vem meu Dono me usa! 

Ele afasta suas nádegas, abre suas pernas, e na frente de todos eles mete na buceta assim de quatro. Entra e a sente molhada. Eles comentam o quão vadia a cadela dele é. Ele continua metendo, a anfitriã acaricia seus seios e a chama de gostosa. Alguém toca na buceta ele sente seu pau resvalando em dedos em busca do clitóris dela. A segura pelos cabelos e puxa a cabeça da cadela pra trás. Outra mulher se aproveita disso pra beija-la enquanto ele a fode. Ela se sente fudida, manipulada, beijada e começa a gozar. Arrepios percorrem seu corpo. Ele a agarra pelas ancas e se crava nela. Enfia todo o pau até o talo. Ela goza feito uma cadela, feito uma puta descarada. Grita e ele então enfia o pau no cu dela. A arromba, mas não param de manipular-lhe o clitóris. 

A mulher não larga a boca da cadela que treme todo o corpo de prazer, tendo o orgasmo mais louco da sua vida. Ele goza na bunda dela, na frente de todos os convidados. Urra de prazer no cu, metendo com força. Goza e se afasta, deixando-a sobre a mesa, pra continuar a ser usada pelos outros, melada e gozada no cu e na buceta. 

A viram de barriga pra cima. Uma mulher se abaixa entre as pernas e começa a chupa-la. O anfitrião se despe e coloca o pau na boca dela, que o chupa enquanto é chupada e sem saber de onde, sem saber como, nova onda de prazer percorre o corpo e começa a gozar novamente. As mulheres se revezam em sua buceta, os homens em sua boca. É a puta mais vadia que já foi levada lá. 

A fazem gozar, se revezam na sua boca enchendo ela com leite, melando sua cara com porra. Sobem em cima dela e gozam nos seios. Ela é só um objeto, só uma putinha pra eles usarem e eles usam e abusam. 

Depois que todos a usaram e gozaram nela, a deixam ali sobre a mesa, apenas uma cadela, apenas uma puta que foi levada lá pra o prazer deles. Ela o procura pela sala e o vê encostado no bar apreciando a cena. Faz um sinal pra que ela se levante e a conduz lá pra fora, para o chuveiro da piscina, perto da varanda pra se lavar na frente de todos que a fuderam, sem tirar as meias, sem tirar o salto alto, continuando a se exibir, com todos olhando. 

Ele manda ela parar, diz que já está bom e diz que ela deve se aprontar. Ela o olha com estranheza, mas ele não diz nada e entrega uma bolsa. A anfitriã a leva a um quarto onde pode se trocar.

Quando está só ela abre a bolsa que ele levou e ela não percebera. Ali dentro estava uma roupa que ele escolhera. Ela examina com um sorriso e coloca sobre a cama, o vestido longo, uma minúscula calcinha, um corpete, sandália de salto alto e luvas. Havia até um pequeno estojo de maquiagem. No fundo da bolsa havia um envelope com o nome dela. Ela o abriu com curiosidade e lá dentro estava escrito: “Vista-se pra mim, te esperamos na sala para apreciar teu striptease!” 

Ela respira fundo e sente sua buceta começar a molhar novamente. Tira o pouco que estava vestindo e decidi preparar-se com calma. Quando está pronta, olha no espelho apreciando e aprovando o que via. Saiu do quarto e voltou para a sala, onde vê seu dono totalmente vestido com uma roupa preta conversando com alguns dos convidados. 
(continua)

Minha esposa na festa de fim de ano

Olá pessoal meu nome é David. O que vou relatar abaixo aconteceu neste final de ano. Eu e minha esposa sempre fomos muito abertos em relação a sexo. Ela trabalha em uma escola renomada aqui na nossa região em Santa Catarina e fomos à festa de fim de ano da escola. Ela tem uma amiga lá na escola que se chama Patrícia. Pra não irmos em 2 carros, Raquel, minha esposa, sugeriu que fôssemos juntos, assim elas poderiam beber que eu dirigia.


Chegamos no apartamento da Patrícia e ela já estava pronta. Fomos pra festa e chegamos lá umas 8:20 da noite falamos com os conhecidos e começaram a beber já que era tudo free e eu só na minha curtindo. As duas se revezavam para pegar os drinks fui ao banheiro e quando voltei tinha meia garrafa de uísque na mesa, guaraná e Redbull. Pensei: “hoje to ferrado com essas duas”. Nisso apareceu Roger, um cara muito gente boa que já conhecia as duas da escola e era um rolo da Patrícia. Ele ficou na mesa com a gente o tempo todo. Jantamos, dançamos, tava tudo 100% mas resolvemos ir embora e o Roger nos acompanhou pois falamos que íamos passar em outro barzinho antes de irmos pra casa. Se tiver afim pode vir conosco.

Patrícia foi com ele no bar tomaram mais uns tantos drinks e depois seguimos para o apartamento da Patrícia. Eram umas 2 da manha quando chegamos. Ela sugeriu pra fecharmos a noite com chave de ouro e comemorar, Topamos. E ela ligou o som. Puxou o Roger pra dançar coladinho, mas dando uns amassos pesados. Aí falei pra Raquel: Vamos sair que eles querem ficar a sós, mas ela disse pra nem esquentar, que já conhecia bem minha amiga.

 

Ai fui a cozinha pegar mais umas cervejas e Raquel ficou na sala com eles. Quando voltei, dei de cara com o Roger sentado no sofá e Patrícia fazendo um boquete. Fiquei sem reação nenhuma pensei: “ixi e agora?” . E minha esposa só assistindo. Falei: “Raquel sai fora vamos embora”. Patrícia disse: “Relaxa David não vê que ela ta curtindo a festa?” Aí ela me olhou e fez sinal que sim e Patrícia falou assim: “Raquel por que você não vem dividir comigo? Sei que você também gosta de chupar” Ela olhou pra mim e falou: “Amorzinho posso dividir com minha amiga?” Falei: “Tá louca?” Ela falou: “Sim to louca, mas pra chupar aquele pausão ali, também deixa vai!”


Me deu uma sensação de raiva e tesão ao mesmo tempo e um calorão subiu ai respondi que sim, pra aproveitar e quando vi minha esposa se agachando pra chupar outro homem na minha frente, ai me deu mais tesão quando ela pegou o pau do Roger com vontade e colocou na boca e chupava com tanta vontade que até esqueceu de mim. A Patrícia lambendo o saco dele e falando “David olha só que delicia de pau que tua esposa ta chupando vem ver mais de perto”. Aí me aproximei e falei “Como está gata?” Ela com o pau de Roger na boca só fez sinal de ok e continuou chupando e Patrícia tirou da boca de minha esposa e continuou a chupar o Roger. Minha esposa estava de saia eu levantei a saia dela e coloquei meu dedo na buceta dela que estava escorrendo e a Patrícia falou como está ai? Molhadinha aposto?” Falei que estava e muito e vendo minha esposa de quatro ainda chupando, tirei meu pau para bater uma punheta por que não aguentava mais de tesão.


Patrícia saiu por alguns minutos e voltou e falou vem amiga isso é pra você e deu a ela uma camisinha. Eu falei: “Pera aí que é isso aí?” Patrícia falou assim: “David quem tá na chuva é pra se molhar!” Aí minha esposa disse: “Calma amor não vai me decepcionar você acha que vou só chupar? Você deve estar brincando senta aí e assisti sua gata ser devorada por outro macho!” Roger me olhou e deu uma piscada e falou: “Relaxa cara e curte a festa!” Raquel tirou a saia colocou a camisinha no Roger e falou: “Amor olha só isso vem aqui e curte!”


O pau do Roger não era pequeno e ele colocou a calcinha dela de lado e ela virou de costas pra mim e encaixou o pau na buceta e sentou com uma vontade que entrou tudo de uma só vez e deu uma urrada e falou: “Amiga que delícia!” E Patrícia falou: “Aproveita linda e devora tudo e relaxa meu querido que tua gata tá aproveitando!” E Raquel falou: “Amor olha só eu sentada em um pausão deste e você ai curtindo sua gata ser bem fudida! Quem diria?” E começou a cavalgar no pau de Roger e Patrícia do lado vendo minha esposa se deliciando.

Ai minha esposa saiu de cima do Roger e Patrícia que estava vestida ainda só tirou a calca jeans e sentou de frente no pau dele e ficou cavalgando e minha esposa me deu um beijo e falou: “Tá contente amor vendo tua gata dando pra aquele macho ali”? e saiu. Tomou uma água e ficou vendo sua amiga que rebolava e nós curtindo o pau entrando e saindo da buceta da Patrícia.


Eu gozei sem mexer no meu pau foi incrível. Patrícia deixou Roger no sofá e falou amiga vem é sua vez de novo e ficaram as duas de quatro no sofá e Roger começou a fuder minha esposa de novo e eu vendo ela naquela posição fui pela frente dei um beijo nela e falei: “Amor você é uma puta mesmo!” Ela respondeu: “Sou mesmo só você que não sabia. Até minha amiga sabia.

Roger deu uma risada e metendo forte nela fez ela abaixar a cabeça e gozou e Patrícia disse: “Desculpa amigo você é um corno a partir de hoje”! E Roger falou: “Concordo com isso!” E tirou o pau da buceta da minha gata e deu pra elas chuparem e falou: “Vem cá suas putinhas que vou gozar!” E as duas chupando ele falou: “Vem cá!” E puxou a cabeça da minha esposa e gozou bem na boca dela e deu pra Patrícia chupar e limpar tudo. Minha esposa com a boca cheia de porra do Roger falou: “Amor olha isso.” E engoliu tudo e ainda voltou e chupou Roger de novo. Patrícia falou: “É meu amigo por esta você não esperava um chifre”.
Elas ainda falaram mais um pouco. Roger saiu e quando voltou falou: “Tua gata é um tesão espero comer ela de novo”. Ela deu uma olhada pra mim, sorriu e não falou nada. Patrícia ainda atiçou: “Da próxima nós vamos só nos duas tá amiga?”.
Saímos do apto de Patrícia. Fomos embora e no carro ela falou que estava com muito tesão e disse: “Meu corninho te amo muito!” E me deu um beijo. Tomamos um banho e dormimos. No outro dia que falamos no assunto de novo. Mas valeu a pena porque descobri a puta que tenho em casa

Clerice Ferre

Despedida de Solteira

Após seis anos de namoro, estava chegando o grande dia, em breve ia me casar. Minhas amigas estavam organizando uma festa de despedida de solteira, eu estava com muito medo do que viria, pois elas adoram sacanear.

Chegando o dia da despedida, três amigas me pegaram em casa e disseram que minha noite seria inesquecível. Fomos para uma casa de stripper, onde encontramos com outras amigas nossas.

No palco rolava uma bolinação super quente, dois gatos de sunga, alisavam uma garota, e na plateia, umas garotas gritavam para ela pegar o pinto deles. Depois de um tempo os caras estavam nus, de pinto ereto e a garota, segurando os dois com vontade, as amigas dela estavam delirando. Um dos caras pegou a cabeça dela e forçou-a a chupar seu pau, ela se recusou, ele continuou insistindo, mas ela não cedeu. Após o showzinho, desejaram a garota, pelo microfone, um bom casamento. Na hora gelei só ai saquei a intenção das minhas amigas.
 
Mais alguns showzinhos rolaram, inclusive de sexo explicito, até a hora que anunciaram meu nome, que estava me despedindo da vida de solteira, e ria participar do próximo numero, a pedido das amigas. Gelei de novo, mas não tinha como fugir.
 
Dois rapazes de sunga vieram até mim, eu estava usando uma mini saia preta com uma calcinha fio dental também preta, e um top “tomara que caia”, de lycra branca, sem sutiã, eles me pegaram pelas mãos e me levaram para a passarela.
 
Deixaram-me em pé no centro da passarela e começaram a dançar ao meu redor, me alisavam de cima abaixo, eu não reagia, e comecei a entrar na brincadeira, comecei a alisá-los também, acho que isso foi o sinal que esperavam. Os rapazes levantaram meus braços, e sem que eu percebesse, estava com as minhas mãos algemadas em correntes que vinham do teto. Agora sim estava à mercê dele.
 
Falei para um dos rapazes que me alisava:
“-O que vocês pensa que estão fazendo?”
 
Ele me respondeu:
 
“-Só o que suas amigas autorizaram!”
 
Não sabia se ficava mais tranqüila ou mais preocupada. Ai começou o show de verdade…
Abaixaram meu top até a cintura, meus peitos que não são pequenos saltaram, e agora estavam à mostra para deleite de todos, minhas amigas gritavam:
 
“-Aproveita!”
 
Ai foi a vez da saia, primeiro a levantaram, mostraram minha banda para todos, depois resolveram tira-la. Não acreditava, estava praticamente nua, só com a calcinha fio dental, minúscula por sinal, ali pendurada em um palco, com diversas pessoas estranhas vendo tudo, era surreal.
 
Os caras continuavam me alisando de cima a baixo. Chupavam meus seios, alisavam minha bunda, esfregavam seus cacetes em minha xota e nádegas, pois neste momento os dois estavam nus.
 
Achei que o show ficaria só nisso e estaria para terminar, já estava pronta para brigar com minhas “amigas”, mas estava redondamente enganada…
 
Senti minha calcinha descendo lentamente, uma língua adentrou minha vagina e outra meu cuzinho. Depois de alguns minutos de chupação desengancharam as algemas da corrente e as prenderam no chão, me colocando de quatro, com o rosto voltado para a platéia, que delirava com a cena.
 
Um dos rapazes desce da passarela e se pos na minha frente, colocou seu pau, que se diga de passagem era muito grande,na minha boca, e gritou:
 
“-CHUPA VAGABUNDA…”
 
Nem pensei o que estava fazendo, abri a boca e recebi o cacete até o funda da garganta, enquanto eu chupava, senti o cacete do outro rapaz penetrando minha buceta, eu não acreditava, uma dupla penetração, ainda por cima em publico, às vésperas do meu casamento.
 
Pensar que o único homem que me possuira até então era meu noivo, e que não era tão avantajado como aqueles caras!
 
O que me confortava é que eu acreditava estarem acabando, mas novamente estava enganada.
 
O rapaz que eu estava chupando, chamou no publico voluntários para substituí-lo. Formou-se uma fila de rapazes, arregalei os olhos, eu não tinha reparado vários homens atrás da cortina vendo o show (pensava que nesses shows só ia mulheres). O rapaz percebendo minha aflição disse:
 
“-Calma, você pode chupar todos com calma, não tenha pressa!”
 
Nesse instante ele tirou o pau da minha boca, enquanto um rapaz da platéia o substituía, ele subiu na passarela e foi me comer no lugar do outro. Só que ele mirou o caralho na portinha do meu cuzinho e foi penetrando, quase me rasgando, pois meu noivo me fodia pouco no rabo, sem contar a diferença de calibre. Eu não podia reclamar, pois estava com a boca cheia de pica.
 
Os rapazes da platéia foram se revezando na minha boca, quando percebi que conhecia alguns deles, eram amigos do meu noivo, gozaram muito na minha boca.

Depois e quase uma hora, levando pica na boca , buceta e no cú os strippers me levantaram pelos braços, me parabenizaram por ter agüentado vinte e cinco caralhos e me desejaram feliz casamento. O publico aplaudiu, os rapazes me levaram para os bastidores, onde havia banheiros para que eu me lavasse e tirasse a imensa quantidade de porra que saia de meus orifícios arrombados e escoria pelos meus peitos e coxas. Eles falaram para eu me lavar e arrumar, para depois voltar para a festa.

Tomei um banho, e enquanto me lavava apareceram três strippers que falaram:
“-Nos também vamos te comer…”
Eu apenas disse:
“-Tudo bem, fiquem a vontade!”
Depois dessa surubinha no banheiro, onde recebi mais um pouco de caralho em meu buraquinhos, voltei para junto das minhas “amigas”, não me dirigi à elas, estava puta da vida e com vergonha ao mesmo tempo. Elas fizeram gritando meu nome e me abraçando:
“-Aproveitou? –perguntavam”
Nisso aparece um dos amigos do meu noivo, que eu tinha chupado e me disse:
“-O Marcos (meu noivo) vai ter uma bela puta como esposa!”
Não sabia onde enfiar a cara!

Perto das duas da manhã, anunciaram meu nome novamente, não acreditei, chega, mas eles queriam me parabenizar pelo casamento, por ter aceitado a brincadeira e me dar um DVD com meu show.

Peguei aquele DVD com toda força, e não o larguei um segundo sequer, mas no fundo sabia que aquela noite ainda ia me trazer problemas. 
by  gogofredo