Amiga da minha mulher



Eu vivo lembrando daquele dia como se fosse hoje, faz mais ou menos três meses que isso aconteceu, me chamo Danilo e tenho 35 anos, sou casado há 10 anos com a Melissa que tem 29 anos. Nós nos conhecemos na época de escola dela, quando ela por volta dos 13/14 anos de idade, sempre tive a fama de pegador, mas Mel nunca acreditou nisso e eu creio que pelo fato de ser apaixonada, ela não caia nessas brincadeiras, por que de fato eu não era pegador.
Porém acontece que sempre fui fascinado por uma das amigas dela,  a Natália, que é mais nova do que nós, tem 26 anos de idade. Ela é o sonho de qualquer homem, sempre que podia ela dava um jeito de me provocar. Ela precisou passar um tempo lá em casa e acabou ficando mais tempo do que eu imaginava, ela ficou em casa certa de um mês, já era mais do que suficiente para me deixar louco. 
Acontece que toda vez que Mel saia para trabalhar, eu ficava sozinho com a Natália, normalmente ela estava tomando banho e sempre saia de toalha, claro que sempre pra me provocar. Eu amo a minha esposa, e tentava resistir, mas a tentação era muito grande, acabei ficando sem saber o que fazer.
Certo dia, nesta mesma rotina, minha mulher saiu para trabalhar, e eu sabendo o que poderia acontecer, decidi sair junto com ela, para não ter perigo de nada, acontece que ao sair na pressa, lembrei que tinha esquecido a chaves do carro e precisava voltar para pegar, a minha mulher decidiu sair na frente com o carro dela, e eu voltei, quando entrei dentro da sala, encontrei Natália, no sofá, totalmente pelada, brincando com um vibrador, enquanto olhava para a minha foto.
Ao me ver, ela não parou, me chamou com uma das mãos e mordia os lábios me fazendo ver que ela estava louca de tesão.
Não consegui me controlar, fechei a porta e fui em direção a ela, ela era do jeito que eu imaginava, muito gostosa, a gente não falava nada, simplesmente nos beijávamos e logo ela subiu em cima de mim e eu acariciava aqueles seios deliciosos, dava pequenas mordidas nos biquinhos e percebia que ela adorava, e eu mais ainda , adorava passar as minhas mãos pelo corpo dela, que delicia ver aquela mulher ali, louca pra me da. Neste momento o meu celular tocou, estava no meu bolso e tive que atender, afinal era a Mel.
Eu estava com o pau duro, não conseguia me concentrar em falar com a Mel, só queria saber de comer a Naty, ela acabou percebendo a minha voz estranha e acabou percebendo algo de errado, avisou que voltaria para a casa, ela sabia que pelo horário, eu ainda não tinha saído, não imaginava a onde ela estava, mas precisava foder aquela cachorra. Enquanto eu estava no telefone, ela havia tirado minha calça e cueca, e já tinha caído de boca na minha rola, ela mamava gostoso, feito uma louca, eu não conseguia falar nada, ela me chupava de um jeito, me deixava louco.
Eu forçava o pau dentro da boca dela e ela mamava gostoso, tirei o pau da boca dela, sentei ela no sofá e comecei a chupar aquela buceta que já estava toda molhada, metia a língua dentro da buceta dela, enquanto masturbava, eu adorava sentir aquela buceta na minha boca e enquanto ela gemia fazia caras e bocas de tesão.
Meu pau estava latejando, eu não estava aguentando mais, quando tirei a camiseta, sentei no sofá, e ela sem demorar muito ela veio e sentou no meu pau, fazendo com que deslizasse gostoso, ela tinha uma buceta apertadinha, mesmo depois de brincar com o vibrador continuava apertadinha, ela rebolava de um jeito tão gostoso, e eu tinha ate esquecido que a minha esposa poderia chegar a qualquer momento, a Naty não se importava com nada e continuava rebolando no meu pau e eu sentia a buceta dela apertando o meu pau, sentia ficar molhado a cada rebolada dela em cima do meu pau. 
Foi quando ela decidiu sair de cima de mim, e se ajoelhou na minha frente e começou a chupar o meu pau de novo, que delicia era aquela mulher, ela realmente sabia o que fazia, deixou meu pau ainda mais molhado e ficou “d4”.

– Mete gostoso, fode a minha buceta.


Não resisti a voz dela me chamando, levantei e meti o meu pau sem só na buceta dela, ela gemia alto, segurei pelos cabelos dela e metia cada vez mais forte, socava o pau na buceta dela, e sentia o prazer dela a cada estocada que eu dava. 

Eu segurava ela forte, ela me deixava louco, não conseguia mais me conter e comecei a foder a buceta mais forte, dentro do silencio que estava só ouvíamos os gemidos e a respiração ofegante. Tirei meu pau da buceta dela e gozei tudo na bunda dela, estávamos muito satisfeito, tinha sido uma foda muito gostosa. Ela me deu um beijo, e subiu para o quarto, eu fiquei ali na sala de pau duro, olhando ela subir as escadas, com a bunda toda gozada.
Quando ela terminou de subir, Mel entrou pela porta da sala, e ao me ver naquela situação, não perguntou nada, apenas fechou a porta e veio até mim, pensei que ia me xingar, me bater, ou algo do tipo, mas não, ela se sentou do meu lado e já caiu de boca do meu pau, nem poderia imaginar que ela faria aquilo, mas a minha principal preocupação era como eu ia comer a Mel, depois da foda que eu tinha tido com a Naty.
Ela chupava o meu pau com uma vontade incontrolável, conseguiu me fazer com tesão novamente, eu segurei a cabeça dela, e ela babava demais no meu pau, Mel sempre soube como fazer um boquete delicioso, e no fundo parecia que ela sabia de mim e da Naty, queria mostrar ser superior, ela me mamava deliciosamente, ela saiu e começou a fazer um stripper, tirou o vestido e deixou cair pelo corpo, ficando só de calcinha e de salto, virou de costas, começou a rebolar e começou a tirar a calcinha, ela terminou de tirar a calcinha, se virou e veio ate mim, me empurrou (deitei no sofá), ela subiu em cima de mim e colocou a buceta na minha boca, enquanto caiu de boca no meu pau, num delicioso “69”.
Eu gemia sempre que ela rebolava aquela buceta na minha língua, acabei fazendo ela gozar na minha boca, só chupando ela, ela saiu de cima de mim, me levantei e comecei a beijar ela, e passar as mãos por aquele corpo, desci beijando seu pescoço, depois desci para os seus seios eram grandes e ali eu me acabava, chupava os biquinhos, beijava, apertava, mordia.
Deitei ela no sofá, e cheguei por trás, coloquei a cabeça do meu pau, na entrada da buceta dela, e soquei com força, ela estava toda gozada, que entrou de um jeito, comecei a comer ela ali mesmo de lado no sofá, ela gemia e tentava se controlar pra não chamar atenção da Naty, mas ela não conseguia, de lado é a posição que ela mais gosta, ela acabou gozando no meu pau, enquanto eu fodia a buceta dela, deixando o meu pau ainda mais melado, entrava ainda mais gostoso, ela gritava de tesão, eu sentia a buceta dela apertando o meu pau, enquanto gozava, a Naty acabou ouvindo, e “pegou” a gente fodendo, quando Mel viu que ela estava na escada, nos olhando, decidiu chamar ela:

– Naty, desci aqui.


A Naty foi descendo as escadas e sentou do nosso lado no sofá, e ficou vendo eu e a Mel metendo, era possível ver a cara de tesão das duas e como elas se olhavam enquanto metia.

Foi quando Naty, chegou mais perto, ajoelhou do lado da Mel, começou a trocar caricias com ela, não demorou muito para que as duas se beijassem, eu jamais tinha pensado nisto, aquilo me deixou com um tesão tão grande que comecei a arrombar a Mel, ela gritava e a Naty beijava os seios dela, segurava, apertava com força e com vontade. E eu metia tão rápido que acabei gozando dentro da buceta dela, ver as duas ali se pegando era o meu maior tesão, era incontrolável, dei um beijo bem molhado na Mel e depois na Naty, e subi para tomar banho, as duas ficaram na sala conversando. Depois de dois dias a Naty foi embora para a casa dela, mas sei que ela e a Mel, vivem falando e lembrando da nossa brincadeira, já não vejo a hora de foder as duas juntos.

Minha primeira vez


Me chamo Simone, tenho 20 anos e sempre fui uma garota muito tímida, muito reservada, eu jamais imaginei que encontraria alguém que gostasse de mim de verdade, por ser totalmente diferente da outras garotas, eu não gostava de usar roupas curtas, não saia na rua e não tinha tantos “amigos” como todo mundo. Apesar disso conseguia ser muito feliz, seguia a minha vida normalmente.

Por volta dos meus 15 anos de idade, eu conheci um garoto na escola, o seu nome era Guilherme, ele tinha seus 18 anos na época. Ele era muito falado por todas as minhas amigas e não somente por elas, mas por todos da escola também, eu não achava nada demais nele, ate porque, sabia que com tantas opções ele jamais me escolheria. Eu sempre tive esse pensamento, e por isso nos auge dos meus 15 anos eu não tinha nem dado o meu primeiro beijo. Pois bem, quando disse que o conhecia, era somente de vista, era difícil ver ele falando com alguém, talvez o seu bom senso, tinha sido exterminado, por causa das meninas que ficavam atrás dele, chegava a ser estranho, o tanto que as meninas falavam naquele cara.
Certo dia, passando por uma rua da minha cidade, vejo ele sentado em uma praça com uma garota, eles pareciam estar brigando, pensei comigo então, será que ela é a namorada dele? Coitada dessa menina, ele deve ter traído ela com quase todas da escola, continuei andando em direção da escola, depois de uns 10 minutos andando, cheguei na escola, mas não comentei nada com ninguém do que tinha visto, afinal, poderia acabar com a fama de “gostosão” dele, então decidi ficar na minha.
Dei a minha carteirinha na portaria da escola, e estou descendo as escadas para entrar na escola, quando olho para trás, Guilherme já esta atrás de mim, com uma cara de choro, sinto um ar quente dentro de mim, minhas mãos começaram a suar, estranhei, afinal, nunca tinha sentido aquilo antes, mas continuei descendo as escadas. Percebo que as minhas pernas estão fracas e acabo caindo quase nos últimos degraus da escada. Guilherme soltou todo o seu material no chão e veio me ajudar a me levantar.

– Você esta bem?
Como eu vou estar bem, com aqueles olhos maravilhosos me olhando daquele jeito? Senti um fogo subindo por todo o meu corpo.
– Sim estou, Obrigada!
– Quer ajuda para chegar ate a sua sala?
Ele me ajuda a levantar, mas não consigo ficar de pé, por que na queda acabei torcendo meu pé.
– É acho que sim.
Ele então me pega no colo e me leva ate a minha sala.
– Qual seu nome?
– Simone e o seu?
– Guilherme.
Ficamos em silencio por alguns minutos, ate chegarmos em minha sala. Ele entra comigo no colo, e dos amigos dele, com os nossos materiais, vejo que todos da minha sala estão me olhando. Sensação estranha, mas Guilherme então me coloca perto de minha mesa.
– Você ira ficar bem Simone?
– Vou sim, muito obrigada.
– De nada. Te vejo no intervalo?
– Se eu conseguir sair, sim.
– Venho ate a sua sala se for esse for o problema.
– Ta bom.

Ele me da as costas e vai saindo junto de seu amigo, quando chega perto da porta, ele olha para trás e me da um sorriso. Meu coração dispara. Ele finalmente se vai. E todos estão olhando pra mim. Foi quando minha melhor amiga Juliana, chegou mais perto de mim;

– Amigaaaaaaaa, o que foi isso que eu acabei de ver?
– Ju, não foi nada demais, eu tive um pequeno acidente na hora da entrada e ele me ajudou, nada demais.
– Como assim nada demais? O cara mais gostoso da escola te trouxe para a sala em seu colo e você me diz nada demais?
– Sim, não vejo nada demais, alem de uma boa ajuda.
– Menina, acorda. Ele ta afim de você.

O professor entra na sala antes que eu possa responder á ela, e fico com aquele pensamento: “ele esta afim de você”, em minha mente. Afinal nunca tive nenhum garoto afim de mim, não sabia nem como era.
As horas iam se passando, e finalmente chegou à hora do intervalo, eu ainda não conseguia andar, sentia meu pé inchado, então decidi ficar dentro da sala mesmo, normalmente todos saiam, mas aquele dia todos resolveram ficar dento da sala, só porque Guilherme disse que viria em minha sala, falar comigo.
Eu não esperava que ele fosse aparecer, e de fato ele não apareceu.
Passou-se as horas e finalmente deu a hora de eu ir para casa, minha mãe foi me buscar e de lá fomos direto para o hospital, pois eu precisava saber o que tinha acontecido, já que eu não conseguia nem ficar em pé. Eu estava meio zangada com ele, por não ter aparecido, mas acabei deixando para lá.
Estava esperando na fila, quando enfim chegou a minha vez, entrei na sala do medico, tirei raio-x, e constou um desvio no meu tornozelo. Tudo o que eu precisava naquele momento. O medico então decidiu me afastar por um mês da escola, fiquei feliz, afinal um mês em casa, perto das férias, seria ótimo.
Então eu e minha mãe fomos direto para casa. Eu não podia subir escadas, então tivemos que fazer grandes mudanças em casa. A onde era a sala, virou meu quarto.
No começo eu estava adorando tudo aquilo, e eu tinha ate me esquecido do Guilherme e do bolo que ele havia me dado.
Depois de uma semana em casa, meu celular tocou. Pego e vejo que é um numero que não conheço, e resolvo atender:

– Alô?
– Si?
– Sim. Quem é?
– Guilherme.
Meu coração dispara novamente e começo a sentir aquele fogo novamente.
– Tudo bem?
– Tudo sim e com você?
– Bem. Fiquei sabendo que você esta em casa. Foi muito grave o que aconteceu com você?
– Sim. Estou em casa. Não. Nada fora do normal.
– Ah que bom fico feliz. Posso ir te ver?
– Você por uma acaso sabe a onde moro?
– Sim. Perguntei para a sua amiga e ela me disse.
– Ahhhh.
– Precisamos conversar, lhe devo desculpas. Posso ir?
Pensei comigo neste momento, nossa ele ainda se lembra do bolo que me deu em frente a todos da minha sala.
– Pode sim. Quando?
– Esta tarde mesmo, daqui a pouco estarei ai, pode ser?
– Claro, não vou sair mesmo.
– Ta ok. Beijos e ate daqui a pouco, linda.
– Até;
Fico então pensando comigo, o que será que ele quer?
Depois de algumas horas a campainha toca, mas eu não posso ir atendê-lo, então a minha mãe vai. Abre a porta e da de cara com ele, simplesmente maravilhoso.

– Oi?
– Oi. Aqui é a casa da Simone?
– Sim, é sim. Entre por favor.
– Obrigado!
– Ela esta ali. Vá lá.
– Muito Obrigado;
Ouço ele vindo em minha direção e o meu corpo já entra em choque, ele veio em minha direção me deu um beijo no rosto e sentou na ponta da minha cama

– como você esta?
– bem, eu acho !
– porque achas?
– depois que te conheci, tenho sentido algumas coisas estranhas.
– que tipo de coisas?
– não sei.

Minha mãe então resolve sair, e nós deixar sozinhos em casa, eu nunca tinha levado garoto nenhum em casa, nem mesmo amigos.

– Nossa sua mãe parece ser tão legal.
– ela é.
– nós estamos sozinhos agora. Estranho.
– aé, muito estranho.

Ele então começou a chegar mais perto, fazendo com que eu começa-se a sentir o calor do seu corpo.
– então me diga que coisas estranhas você sente, porque eu também acho que estou sentido.
– como assim, você também?
– so porque sou homem não posso sentir as mesmas coisas que você?
– não tinha pensado por esse lado. Mas é claro que pode. O que eu sinto é um- fogo, começa a subir, não sei dizer.
– é eu também. Acho que nos sentimos a mesma coisa.
– não sei o que isso quer dizer, Guilherme.
– eu sei. Posso te mostrar?
– Pode.

Ele então se levantou, foi ate a cozinha, e pegou uma cadeira para sentar do meu lado, porém eu disse a ele que poderia sentar ali mesmo do meu lado na cama, então ele sentou, e começou a acariciar o meu rosto, as suas mãos eram suaves, e aquele fogo novamente apareceu em mim, quando ele me beijou, eu não esperava aquela atitude dele, mas meu corpo queria ser entregue a ele, a cada toque dos seus lábios nos meus.
Quando ele para

– Me desculpa Si.
– Nossa! O que foi isso?
– Não sei. Só sei que te desejo dês daquele dia em que te peguei no colo.
– Mas então porque você não apareceu aquele dia na minha sala?
– Sinceramente eu não sei, mas acho que foi por medo do que você poderia pensar de mim.
– Como assim Guilherme?
– É que depois daquele dia, eu descobri que o que eu sinto por você é bem mais do que um simples desejo é bem mais do que sexo, eu acho que me apaixonei por você e preciso ter você pra mim.

Fico sem reação, sem saber o que dizer a ele. Começa a me passar tantas coisas pela cabeça, ele precisa me ter para ele, como assim? Como ele conseguia me dizer àquilo com tanta naturalidade? Fico vermelha e com vergonha do que possa vir dali.

– Si, eu imagino que o que você pensa de mim e o que todos pensam, que eu sou o maior pegador da escola e tudo mais, e de fato eu era ate te conhecer. Eu não penso em nenhuma garota alem de você, não consigo tirar você do meu pensamento e é por isso que decidi vir ate aqui hoje, precisava te dizer isso que estou sentindo, estou ficando louco sem você.

– Serio? E quem era aquela garota com quem você estava brigando no dia em que a gente se conheceu?
– Minha ex, aliais uma das minhas ex.
– Uma das?
– Sim, Já fiquei com quase todas as garotas da escola, por isso sei que com você é diferente.

Eu sabia que o que eu estava sentindo por ele, era totalmente diferente do que eu já tinha sentido ou imaginado, durante toda a minha existência. Vendo aquela boca falando e aqueles olhos me olhando com um tom de sinceridade, eu o queria pra mim também, queria sentir ele mais perto, mas como explicar pra ele que eu realmente era diferente de todas as garotas com quem ele tinha ido pra cama? Que eu era virgem e que aquele tinha sido o meu primeiro beijo, e que eu estava torcendo muito para que ele não tivesse percebido isso.

– Como você pode saber que comigo é diferente?

Ele segurou as minhas mãos, olhou dentro dos meus olhos.
– Porque sei. Deixa eu te mostrar o que eu estou sentindo e que é realmente verdadeiro.

– Como Gui?
– Assim…

Ele colocou uma das suas mãos em minha nuca e me puxou pra perto dele, fazendo com que as nossas bocas encostassem.

– Deixa que eu te guio, Si.

Ele começou a me beijar suavemente, enquanto roçava seus dedos pelos meus cabelos, me fazendo relaxar. Já tínhamos ate esquecido que minha mãe, poderia voltar a qualquer momento e estragar aquele momento, que pra mim estava sendo maravilhoso.
Devagar ele começou a descer seus lábios para o meu pescoço, me arrepiando toda, eu ia soltando pequenas risadas diante daquela situação, e percebia que ele gostava, ele foi descendo as mãos pelas minhas costas, e eu sentia o tesão tomando conta do meu corpo.

– Quero que seja perfeito pra você, sei que é a sua primeira vez.
– Como sabe?
– Percebi pelo modo como me beijou.
– Gui, eu confio em você.
– Que bom ouvi isso.

E ele me beija novamente.
Era muito bom o que eu estava sentindo, mas eu não tinha noção do que fazer, me entreguei totalmente a ele. Ele me fazia ficar louca de desejos proibidos.
Ele se levantou e tirou o tênis e a camiseta, ficando apenas de shorts e o meu corpo se contrai, vendo aquele homem ali, do jeito que eu almejava ver, ele chegou perto de mim e me ajudou a tirar a minha blusa, eu estava alucinada por ele, não conseguia tirar os olhos da boca dele. Ele me provocava me dando apenas selinhos. Ele subiu em cima de mim, me fazendo deitar. Começou a beijar minha boca, foi descendo pro pescoço e foi descendo mais, começou a percorrer o meu peito, depois barriga e decidiu tirar a minha calça. Me deixando de calcinha e sutiã, ele começou a passar a mão por cima da minha buceta, e eu gostava muito daquela sensação, mas tinha medo.

– Posso tirar a sua calcinha Si?
– Não sei Gui, tenho medo.
– Relaxa, prometo que vai ser maravilhoso.

Eu continuo olhando pra ele sem da uma resposta se quer, eu queria muito, mas o medo me fazia pensar antes de agir.

– Pode Gui, mas vamos com calma;
– Como você quiser linda.

Ele começou a puxar a minha calcinha e foi tirando bem devagar, começou a acariciar as minhas pernas e foi subindo a sua mão ate chegar na minha virilha.

– Relaxa Si, jamais faria algo que pudesse te machucar. Confia em mim.

Apenas respondo sim com a cabeça, e coloco o travesseiro sobre o meu rosto.
Começo a sentir ele passando suavemente o dedo sobre a minha buceta e dentro também, como se de alguma forma ele quisesse me sentir antes de começar a fazer qualquer coisa. Ele ergue uma das minhas pernas, e deixa a outra do mesmo modo, já que não posso forçar muito, ele se deita na minha frente, e posso sentir sua respiração chegando cada vez mais perto da minha buceta, começo a sentir um nervoso muito grande, mas eu queria que ele fizesse aquilo, eu queria sentir a boca dele em mim, e me controlei, ate sentir o toque dos seus lábios em mim, começo a sentir a língua dele percorrendo por toda a minha buceta, e começo sentir que estou ficando molhada, e mesmo sem ver ele, percebo que a sua expressão muda, com cada gemido que solto, enquanto ele morde meu clitóris.
Ele estava me fazendo gemer de tesão, que delicia era aquela sensação de ter aquela boca me chupando, me mordendo e me fazendo fica ainda mais molhada.
Quando sinto que ele para.

– Si?
– Oi? – tiro o travesseiro do rosto.
– Esta gostando?
– Sim. Sua boca é deliciosa.
– Não linda. Sua buceta que é. Posso tirar meu short? Enquanto você tira seu sutiã?
– Sim amor.

Ele se levantou e começou a tirar o short e ficou apenas de cueca, e eu pude ver pela primeira vez o volume do pau dele. Sentei e tirei meu sutiã, quando ele viu os meus seios ficou ainda mais alucinado.

– Si, que seios lindos que você tem, do jeito que eu adoro, grandes.
– Gui, deixa-me tocar em você?
– Claro.

Ele chega mais perto de mim, e eu acabo ficando com a boca, na mesma direção do pau dele, não sei muito o que fazer, mas passo a mão suavemente sobre a cueca dele, e ele ri.

– O que foi Gui?
– Nada. É que é uma delicia essa sua inocência.

Ele pega na minha mão e faz com que eu segure o pau dele mais forte. Tiro rapidamente a mão, e ele começa a tirar a cueca, fico em choque quando finalmente posso ver o pau dele.

– Ele é todo seu Si. Faça o que quiser.

Realmente não sabia o que fazer, as únicas coisas que tinha em mente era algumas cenas rápidas que tinha visto em alguns filmes pornô, decidi fazer aquilo que eu tinha visto nos filmes, cheguei mais perto e comecei a passar a língua suavemente sobre a cabeça do pau dele, ele colocou a mão no meio dos meus cabelos, e começou a forçar um pouco para que eu chupasse o seu pau, fui deixando ele deslizar pra dentro da minha boca, comecei a fazer movimentos de vai e vem com a cabeça, e comecei a ouvir ele gemendo bem baixinho, ele me olhava de um jeito, aquilo estava me deixando louca. Comecei a fazer movimentos mais rápidos, a fim de deixar o pau dele todo molhado pra deslizar ainda mais gostoso dentro da minha boca.

– Si, deita.

Olho para ele, e vejo que este é o momento, e o nosso momento. Deito-me, e ele vem por cima, ele se ajeita e deixa o pau dele na entrada da minha buceta.

– Preciso que você relaxe, tudo bem?
– Sim. Estou relaxada.

Ele então começa a forçar a entrada do seu pau na minha buceta, mas estranhamente ele não esta me machucando, e eu posso sentir a cabecinha do pau dele entrando e rompendo a única barreira que existia entre nós.

– Esta tudo bem Si?
– Sim, esta. Porque não estaria?

Ele ri e continua forçando. Agora posso sentir um certo desconforto, mas nada que impeça ou estrague o que eu estou sentindo. Ele continua, e, mas uma vez sinto o desconforto, ele continua e desta vez vai ate o final, e agora eu começo a sentir a dor. Neste mesmo momento ele para e espera, como se ele soubesse o que eu estou sentindo. Como será possível um cara ser tão carinhoso assim?
Eu não consigo falar nada, apenas estava esperando que ele fizesse comigo o que tinha vontade, mas ele era tão carinhoso e não forçava nada. Eu sentia que ficava mais molhada. Ele percebeu que eu estava ficando relaxada e começo a fazer leves movimentos, de certa forma, eu sentia aquela dor ficando menor, como se aos poucos elas simplesmente deixa-se de existir.
Ele fazia tão gostoso e eu já tinha esquecido que era a minha primeira vez e quando percebi já estava entregue a ele, e gemendo gostoso.
Ele fazia os movimentos mais rápidos e eu ia sentindo mais tesão e mais prazer. Eu o ouvia gemendo bem suave, eu adorava ouvir, então ele se deitou sobre mim e ficou com a boca no biquinho do meu seio. Ele me olhou.

– Si, ta gostoso?
– Sim, amor. Uma delicia. Você é uma delicia.

Ele sorri, começa a morder o biquinho dos meus seios, sem parar de meter. Eu estou em êxtase, a minha primeira vez não poderia ser melhor, aquela boca estava me fazendo delirar, Guilherme se levantou novamente, me colocou de ladinho e começou a meter na minha buceta, ele tinha o controle da situação e eu gemia alto, foi quando ouvimos barulhos de chaves, como se alguém estivesse chegando e logo pensamos na minha mãe. Porem, eu estava gemendo muito alto e de repente o barulho parou. Guilherme não se abalou e continuou metendo, cada vez mais gostoso.

– Si, eu vou gozar. Que buceta gostosa.
– Goza Gui…

E eu pude sentir o pau dele latejando dentro da minha buceta, ele gritava de tesão, enquanto gozava, era maravilhoso poder ver no rosto dele, o desejo, a satisfação de ter me fudido daquele jeito. Ele é gostoso demais. Eu já queria mais. Ele se levantou, me ajudou a subir pois precisávamos de um bom banho. Quando estávamos terminando de subir as escadas, ouvimos novamente o barulho das chaves, era a minha mãe, no fundo ela sabia que aquilo ia acontecer, por isso nos deixou sozinhos por todo aquele tempo.
Entramos no banho e ficamos nos beijando enquanto a água caia sobre os nossos corpos, eu me sentia maravilhada com tudo aquilo, ele também.
Depois de 30 minutos em baixo do chuveiro, terminamos o banho, nos trocamos e descemos. Minha mãe estava com cara de feliz, era possível ver a felicidade transbordando em seu olhar.
Ela o convidou para jantar conosco, e ele aceitou. Ele ficou cerca de 4 horas juntos conosco e logo depois foi embora.


De fato a minha mãe sabia tudo o que tinha acontecido, e depois desta experiência, nós estamos juntos ate hoje, sem medo, sem vergonha e sem pudor algum.

Amantes da putaria

 Em pleno século 21, a coisa mais difícil de se encontrar, é casais que são fieis uns aos outros, com este pensamento, eu e meu namorado decidimos assumir que somos amantes da putaria e fazemos juntos tudo o que temos vontade.
Tudo o que queremos fazer, nós conversamos e decidimos se é bom ou não fazer.
Atualmente o nosso maior desejo, é poder ver outro casal metendo para nós, como um pornô ao vivo.
Claro que se o casal quiser, podemos ser vistos também, porém a nossa maior experiência foi sexo a 3, claro que foi um presente para ele, afinal, abri mão do meu ciúmes para ver ele fodendo com outra mulher.
Nós não tínhamos noção de como íamos encontrar alguém para isto, pois as mulheres que tinham vontade de fazer isso, sempre davam a mesma desculpa, dizendo que jamais faria isso, porque ele é o meu namorado.
Porém certo dia, puxei essa conversa com uma amiga, a Mika, ela sempre me dizia que tinha vontade de fazer grandes loucuras, mas não tinha coragem, ainda mais com conhecidos, ela era solteira e sempre muito bem resolvida.
De todas as minhas amigas, ela era a única que eu conhecia e que assumia o que ela realmente queria.
Decidi tomar atitude e chamar ela para fazer uma surpresa para o meu namorado.
Ela resistiu muito dizendo que não poderia fazer aquilo porque éramos um casal de amigos.
Mas acabei convencendo ela a pelo menos sair com a gente, depois nós víamos o que acontecia.
Combinei de me encontrar com ela no shopping, as 15h00 numa sexta-feira e combinei com o meu namorado de chegar as 16h00, mas ele não sabia dela. Eu sempre fui engenhosa adorava desafios, e agora não seria diferente.
Por volta 13h00, vou para o banho, me arrumar, encontrar eles de uma forma que nenhum dos dois resistira a situação, para que daí, saíssemos somente para um motel.
Me arrumei toda, coloquei um vestido preto decotado na frente e curto no comprimento. O vestido ela havia me dado e o meu namorado ficava louco quando me via com ele, um salto fino que homem nenhum resiste, cabelos soltos, maquiagem básica feita, e claro o perfume que não poderia faltar.
Estava pronta e linda, isso já eram 14h10, eu estava atrasada, pois o shopping ficava cerca de 1h20 de casa, mandei um SMS para ela avisando que ia me atrasar um pouco.
Ela me respondeu rápido e disse que estava tudo bem, mas que ela já estava chegando lá.
Decidi as escadas de casa, entrei no carro, a fim de chegar o mais rápido possível.
Achei que não estaria transito, mas devido á um acidente, estava um transito terrível. Tentei cortar por diversas ruas e acabei chegando lá bem mais rápido do que eu pensava. Tinha feito o caminho em 40 minutos. O shopping não era grande, com isso, achei ela em menos de 5 minutos.
A cumprimentei e já fomos para a praça de alimentação, queria comprar um milkshake e esperar meu namorado chegar.
Compramos o milkshake e ficamos ali conversando por um bom tempo. De fato nós duas éramos lindas, e todos os caras que passavam por ali, mexia com a gente.
Conhecia ela dês dos nossos 6 anos de idade, ela sabia tudo sobre mim e eu sabia tudo sobre ela,
Quando a gente se encontrava, nós nos lembrávamos das loucuras que fazíamos na adolescência. Ela havia perdido a virgindade em um show de rock, em baixo de uma escada com alguém que ela nem sabia o nome. Já eu em um show de funk, foi onde conheci meu namorado e ate hoje nós estamos juntos.
Quando estávamos juntas não tinha pra ninguém.
As horas iam passando e o meu namorado chegou, ao ver ela na mesa comigo fez cara de quem não estava entendendo nada.
Ele me deu um selinho e a cumprimentou com um beijo no rosto.
Mika já me olhou com aquela cara de “você esta aprontando de novo”.
E eu confirmei com um sorriso.
Nós 3 ficamos conversando ali e senti que estava realmente rolando uma química entre eles. Era perfeito. Tudo o que eu mais queria.
Acontece que depois deste momento, comecei a me insinuar para os dois, e provocava meu namorado, falando coisas do tipo “A Mika é linda, né?”, “Eu a pegava”, e Mika também o provocava, ate que no meio de uma brincadeira, ela acabou me beijando na frente do shopping todo. Meu namorado foi a loucura e propôs que nós 3 saíssemos dali, e fossemos a um motel que era próximo dali. Claro que eu e Mika aceitamos, afinal o tesão aumentou depois daquele beijo.
Levantamos os 3, peguei na mão do meu namorado e fiquei ao lado direito, já Mika do lado esquerdo e ele a abraçou também. Deixei meu carro no shopping mesmo e fomos no carro do meu namorado; ele foi dirigindo enquanto eu e a Mika, fomos atrás, é claro que para nos “conhecer” melhor. Mika era uma delicia e muito safada, eu me deixava levar aos toques dela.
Começamos a nos beijar no banco de trás e percebia que ele nos olhava através do retrovisor.
Mika me pegava pelos cabelos e beijava o meu pescoço, tirou as alças do vestido, fazendo os meus seios ficarem amostra para ela e para o meu namorado, enquanto isso eu acariciava a perna dela, e comecei a passar o dedo na bucetinha dela.
Percebi que meu namorado havia dado duas voltas no quarteirão só para ver a gente se pegando ali.
Quando ele percebeu que eu estava olhando. Decidiu entrar no motel. Entramos e ele já pediu uma suíte, nós estávamos pegando fogo, e enquanto ele estacionava o carro, me arrumei, peguei na mão da Mika, e já subimos para a suíte. Fomos direto para a piscina. Tirei a roupa dela deixando ela nua, e também tirei a minha. Entramos na piscina. Logo meu namorado chegou e também já foi para a piscina, porém ele ficou sentado ali só olhando nós duas se pegando. Eu a beijava, e ela tinha um lábio suave, nós riamos e o sorriso dela era malicioso.
Ela começou a acariciar os meus seios, então chamei o meu namorado e ele me atendeu, tirou a roupa e encontrou coma gente, o pau dele já estava duro, logo que ele entrou e a Mika fomos perto dele, Mika o beijou e começou a passar a mão pelo corpo dele, ate chegar em seu pau. Enquanto isso, eu estava ali beijando ele.
Ele parecia estar indo a loucura, decidimos sair da piscina e ir para cama.
Mika saiu primeiro, pegou a toalha e foi para a cama, enquanto isso eu e o meu namorado, ficamos ali nos pegando. Decidi meter um pouquinho com ele antes de ir para a cama e do jeito que ele estava ali sentado, sentei em cima do pau dele, que entrou gostoso e começamos a meter, gemi alto, Mika estava na cama esperando por nós, então depois de matarmos a nossa vontade de fuder gostoso dentro da piscina, saímos e fomos para dentro, quando entramos Mika estava deitada na cama brincando com o pau de borracha. Que delicia ver aquela cena, soltei a toalha e fiquei “d4”, para poder chupar a buceta dela, enquanto isso, meu namorado chegou por trás de mim, e meteu. Enquanto ela rebolava na minha boca, eu rebolava no pau dele, ate que ele parou de meter em mim e levou o pau ate a boca dela. Então decidi parar de chupá-la e ir ate lá em cima chupar o pau dele também, fiquei por cima dela e nós duas ficamos chupando o pau dele, sabia que ele estava indo ao êxtase com aquilo, afinal ele desejava aquilo mais do que qualquer coisa, nós deixamos o pau dele todo babado, ele gemia alto e sem parar segurava a minha cabeça forçando o pau entre a minha boca e a boca dela. Ele pegou e começou a bater o pau dele na minha boca e depois na boca dela, ate que depois disso, eu e ela começamos a nos beijar e ele tentava colocar o pau no meio de nossos beijos, mas não conseguia.
Ele então me puxou pelo cabelo, me fazendo levantar, me deu um beijo bem molhado e me pegou pela cintura me fazendo sair totalmente de cima da mika.
Sentei na cadeira que tinha de frente e fiquei olhando os dois metendo, enquanto isso ia me masturbando. Era a melhor sensação ver ele ali comendo outra na minha frente. Ele gemia e ela ainda mais, de fato os dois estavam pegando e claro eu também. Eles então pararam de foder, e meu namorado, veio em minha direção e puxou as minhas pernas contra o seu corpo, e naquela posição mesmo, começou a meter sem parar. Mika se levantou da cama e entrou ao meu lado em outra cadeira e enquanto ele metia em mim, ela passava a mão em meus seios, chupava os meus biquinhos os deixavam molhados, ela apertava com força enquanto meu namorado metia sem parar. Não demorou muito para que eu gozasse no pau dele.
Ela já ficou de joelhos em nossa frente o chupou com vontade aquele pau maravilhoso, e já subiu para chupar a minha buceta também.
Meu namorado resolveu terminar a nossa brincadeira comendo ela “d4”, pegou na cintura dela, meteu com força, enquanto ela gemia sem parar, quando ele estava próximo de gozar, colocou nós duas de joelhos e gozou na gente, fazendo com que seu gozo, caísse pelos nossos seios. Ela chupou meus seios mais uma vez, levantamos e fomos para o chuveiro enquanto isso meu namorado pediu champanhe para comemorarmos, e fomos os três para a piscina após o nosso banho. Ficamos no motel por mais algumas horas, tendo algumas brincadeirinhas e depois fomos novamente para o shopping, pois eu precisava pegar meu carro e levar ela para casa.
Quando chegamos na casa dela, ela me convidou para entrar, mas não quis aceitar, pois ia para casa ficar com meu namorado que estava me esperando. Ela me deu um beijo de boa noite e saiu do carro.
Fui para casa me encontrar com ele, chegando lá, nós transamos de novo pensando em tudo o que tinha acontecido.
A nossa experiência foi maravilhosa, mas fizemos apenas uma vez, estamos a espera de um casal que possa transar para nós.

Festinha

Nada melhor do que uma festinha entre amigos; eu e o meu namorado combinamos de fazer um churrasco para os nossos amigos e assim foi feito à festa.

O local escolhido para tudo isso acontecer, foi a casa do meu namorado; ele ligou para os amigos dele e eu para os meus, compramos as coisas e fomos curtir a festa.
Um som rolando, as meninas dançando e os meninos conversando. Eu estava sentada no sofá do lado de fora junto de uma amiga.
Estamos conversando sobre alguns desejos, fantasias, comentei com ela que adoraria realizar todas as minhas fantasias e as fantasias do meu namorado; percebi que ela havia gostado da idéia.
Então ela me confessou que estava afim de um dos amigos do meu namorado.
Neste mesmo momento ela se levantou e foi para o banheiro.
Chamei meu namorado que estava conversando com os seus amigos e falei:
– amor, a lê me disse que gostou do Leonardo, fala pra ele vim aqui, conversar com ela.
Meu namorado virou-se e chamou Leonardo, ele foi chegando perto e nesse momento Letícia também chegou, apresentei os dois e sai de lá, deixei os dois conversando. Fiquei junto com meu namorado o tempo todo.
Depois de algumas horas de festa; já passando das 2h da manha, depois de algumas bebidas, aumentaram o som e colocaram funk.
Todos começaram a dançar, porem eu fiquei sentada no colo do meu namorado, estávamos de frente para Leonardo e Letícia, percebemos que depois de alguns copos de vodka, os dois haviam se soltado.
Eles estavam se beijando, e Leo já acariciava o corpo dela disfarçadamente, senti neste mesmo momento que meu namorado também havia ficado excitado, aquilo me excitou também. Eu e ele começamos a nos beijar, enquanto todos dançavam, porem ficou só nos beijos.
Batendo as 3:30h da madrugada, algumas pessoas começaram a ir embora, ficando por coincidência ou não, somente os casais.
Pois bem, resolvemos sentar em volta da mesa e conversar, já que a vizinha havia reclamado que o som estava alto demais.
Papo vai, papo vem; e chegamos ao assunto que todos ali pareciam querer, sexo.
Cada um começou a falar das vontades que tinham, suas experiências e as suas fantasias. Todos se surpreenderam com as respostas, porem sabia que com isto, todos ali haviam ficado “ligados”; e eu fiquei ainda mais excitada.
Com isto, comecei a passar a mão o pau do meu namorado por baixo da mesa, percebi os caras que ele fazia de tesão.
Ele então se empolgou e começou a me beijar na frente de todos descontroladamente, me puxou, me jogou no sofá que estava lá fora e começamos a transar ali mesmo, na frente de todos.
Ninguém conseguia crer naquilo, nem eu mesma, mas com aquela cena, todos acabaram se soltando ainda mais, e começaram a transar ali mesmo; menos um casal que era Letícia e Leonardo, e eu e meu namorado não conseguíamos entender o porque, já que, eles já haviam se beijado e se tocado.
Então chamei Letícia, enquanto metia “d4” com meu namorado; e perguntei o que estava acontecendo, e ela me respondeu que Leonardo não queria fazer nada com ela, mas que ela estava muito excitada com tudo aquilo.
Eu sabia que ela era louca para transar pelo menos uma vez com meu namorado, então pensei em deixar ele meter com ela, enquanto eu iria conversar com Leonardo, para saber o que ele queria; então ali mesmo na frente de todos, mandei meu namorado meter com ela, enquanto eu olhava os dois.
Sentei ao lado de Leonardo e fiquei me masturbando; enquanto todos faziam sexo, inclusive meu namorado e minha amiga.
Porem mesmo antes de eu começar a falar com Leonardo percebi que ele havia começado a se excitar com tudo aquilo; e começou a “bater uma”; ali mesmo do meu lado.
Quando meu namorado viu, mandou que eu o chupasse; e depois metesse gostoso com ele, da mesma forma que ele estava fazendo com a minha amiga.
E de fato, só conseguia ouvir ela gemendo no pau do meu namorado.
Fiz tudo o que meu namorado disse; ajoelhei na frente do leo, coloquei o pau dele na minha boca, e o chupei deliciosamente, vi que alguns casais fizeram trocas no meio disto, inclusive meu namorado e a minha amiga.
Então sentei em cima do pau dele e comecei a rebolar, estavam todos metendo gostoso, ate que alguns casais iam terminando e cada um gozando de seu jeito, uns no cuzinho, outros no rosto e alguns na boca.
Com isto, eles iam indo embora, todos satisfeitos; sobrando somente, eu, leo, meu namorando, Letícia, Rodrigo e Camilla.
Meu namorado e Rodrigo já haviam gozado e os 4 só ficavam olhando enquanto eu metia com Leo. Ate que, eu e leo também gozamos.
Ficamos muito satisfeitos com aquela festinha; porem eu não iria dormir na casa do meu namorado, e precisava ir embora; Letícia e Leonardo, tambem iria ir com a gente, já que ela morava próximo da onde eu morava, já Leonardo só iria, pois iria voltar com meu namorado.
Rodrigo e Camilla estavam de moto, porem no meio do caminho, comentei que não tinha ninguém casa, e Letícia já falou de irmos todos para a minha casa, pois precisávamos terminar aquela festinha em grande estilo. Todos concordaram e fomos todos para a minha casa, inclusive chamei Rodrigo e Camilla.
Porem Camilla também não poderia ir, pois; não poderia dormir fora de casa naquela noite, Rodrigo foi levar ela para a casa, e nós fomos para a minha casa, Leo e Lê estavam no banco de trás, trocando beijos e caricias, enquanto eu e meu namorado só olhávamos os dois se pegando.
Ate que depois de 10 minutos, chegamos em casa; leo e Letícia já foram direto para o quarto, só conseguíamos ouvir os gemidos fortes deles, enquanto eles metiam sem dó; eu e meu namorado estávamos na cozinha, so ouvindo toda aquela cena, muito boa por sinal.
Depois de 5 minutos; a campainha tocou, quando fui atender, percebi que era Rodrigo; ele havia deixado Camilla em casa e dito a ela, que ia para casa, mas havia ido participar da nossa festinha.
Então decidimos ir todos para o quarto, onde Lê e Leo estavam fudendo gostoso.
Rodrigo já tirou toda a sua roupa; e já colocou o pau dele na boca dela, e ela o chupava gostoso.
Ele gemia e deixava o meu namorado louco para sentir aquela boca no pau dele, mas estava se controlando.
Então eu disse que ele poderia ir meter com eles, que eu ia adorar ver ele fudendo aquela safada.
Ele levantou tirou a roupa, e já chegou por trás dela, chupando o cuzinho dela, enquanto ela metia com Leo e chupada Rodrigo.
Foi deixando o cu dela todo molhado, e depois colocou devagar o dedo, e começou a masturbar ela, preparando o cuzinho dela, para meter gostoso.
Foi quando ele começou a meter o seu pau, primeiro a cabecinha, depois meteu mais fundo e depois meteu ele todinho;
Mas antes dele meter, eu havia deixado o pau dele todo molhadinho, para ele fuder o cu daquela puta.
Então ela metia com os 3, enquanto eu só olhava.
Depois de algum tempo, decidi participar da festinha deles, e fui lá no meio beija ela, ficando “d4” na frente de Rodrigo; então ele começou a meter na minha boceta; enquanto Leo chupava os meios seios; eu olhava fundo nos olhos do meu namorado, e vi naquele safado que ele estava adorando comer aquele rabo gostoso.
Mas também queria sentir o pau do meu namorado me fudendo, então olhei pra ele e disse.
– ah amor, quero tanto sentir você comendo o meu cu, vem me fuder, fode a sua puta.
Ele começou a meter com força na Lê e depois tocou de posição com Rodrigo.
Então meu namorado, veio e começou a comer meu cu, e comia muito gostoso, meu namorado então pediu para que Rodrigo metesse na minha boceta, enquanto ele comia meu rabo.
Sentei no pau de Rodrigo e meu namorado veio por trás me pegando forte e metendo sem parar, enquanto Letícia e Leonardo fudiam gostoso também, ate que eles gozaram.
Eu, meu namorado e Rodrigo metíamos gostoso; ate que Rodrigo tirou o seu pau e gozou, enquanto só meu namorado metia no meu cu, ate gozar tudinho dentro de mim.
Depois de todos terem metido muito gostoso, Leonardo e Letícia tomaram banho em casa, já Rodrigo somente esperou eles, pois ele ia levar eles embora. Rodrigo tinha vindo de carro, então decidiu levar eles.
Logo após deles irem embora, eu e meu namorado, nós deliciamos num gostoso banho.

Presente de aniversario

Sempre fui uma mulher segura de mim, onde eu trabalhava todos diziam que eu era muito misteriosa, mas que eu passava uma imagem de sexy e quente.
Eu sabia que meu gerente Mauricio tinha uma queda por mim, mas não imaginava que fosse tão forte. Eu namorava Juan, que era um cara fantástico, era muito carinhoso comigo, e sempre que eu precisava ele me apoiava.
Não fazia muito tempo que nós estávamos juntos, um ano apenas.
Gostava de Juan, ele era muito especial, realizava tudo o que eu queria, inclusive na cama, entre 4 paredes, por mais que o povo pensasse que eu era radical, eu era mais de boa, porque gostava de realizar os desejos de quem estava comigo, e não os meus.
Certo dia tinha combinado com Juan, de irmos para a balada e depois passar em um motel, já que no outro dia, ele ia trabalhar.
Ele queria passar a noite comigo, pois no dia seguinte era o meu aniversario. E ele não tinha conseguido mudar o seu horário para ficar comigo.
Juan estava meio triste, pois exatamente no dia do meu aniversario, ele não tinha conseguido a sua folga. Advogado em uma grande empresa. Ele tinha uma audiência.
Como eu trabalhava em um banco do lado do shopping e naquele dia sai cedo, resolvi passar por lá e comprar roupas e sapatos novos para mim, queria ir linda para a balada com ele.
Entrei em meu carro, e fui para o shopping, chegando lá, estacionei o meu carro. O shopping não estava tão cheio assim, logo encontrei uma vaga.
Entrei no shopping e logo me deparo com uma loja diferente, cujo nome é “LINGERIE FUCK”, achei estranho e ao mesmo tempo engraçado por causa de seu nome, mas resolvi entrar, afinal, eu ia ter uma noite maravilhosa com Juan.
Entrei e comecei a olhar as lingeries que estavam na vitrine, eram simplesmente lindas e bem pequeninas, do jeito que Juan gostava. Como eu ainda não tinha conseguido realizar nenhuma fantasia dele, decidi que seria aquela noite, e comprei varias lingeries para fazer um desfile pra ele.
Depois de mais ou menos uma hora, sai daquela loja, e comecei a procurar uma roupa nova para que eu pudesse sair com ele aquela noite, e acabo encontrando um vestido tomara que caia vermelho, até um pouco abaixo da coxa, ele era lindo, com detalhes de strass por toda a frente do vestido, de fato o preço dele não era tão doce assim, mas resolvi levar ele mesmo. Agora só faltava o sapato. Quando ando mais um pouco, vejo de longe o sapato perfeito para mim.
Nisto Juan me liga.

– Oi Amor!
– Oi Juan, tudo bem bb?
– Sim. Nosso plano para esta noite ainda esta de pé? Porque eu estou.
– Sempre engraçadinho né? Lógico que sim. Estou aqui no shopping, me arrumando pra você.
– Linda! Te pego as  22:00 horas. Ok?
– Ok!
– Beijos, te amo pequena.
– Beijos, amo você!

Desliguei o celular e entrei na loja, vejo que aquele sapato também era bem salgado, mas como essas coisas acontecem apenas uma vez por ano, resolvi comprar.
Sai então do shopping em direção ao meu carro, quando encontro uma amiga, ela me pede uma carona. Resolvo convidar ela para ir comigo em casa, pois precisava de opinião, para saber com qual lingerie eu deveria ir, e nada melhor que alguém que é formada em moda como ela.
Depois de 20 minutos, chegamos em casa, entramos e eu já fui para o banheiro tomar um banho, o relógio já batia ás 17:00 horas, eu precisava correr ou se não ia me atrasar.
Deixei a porta do banheiro aberta, enquanto conversava com a minha amiga Jessy, depois de uns 5 minutos ela parou de conversar comigo, por falta de assunto e acabou entrando no banheiro, eu não havia fechado o box, ela acabou me vendo pelada, mas não pude perceber logo de cara, pois estava de costas para ela, quando resolvi me virar para pegar o shampoo, e vi que ela me olhava com tesão, mas jamais pudesse imaginar que ela gostasse de mulher, afinal conhecia ela dês do tempo de colégio. Fiquei sem graça no começo, mas comecei a gostar da idéia de uma mulher me desejando, ela então me pediu licença e saiu do banheiro, indo para o meu quarto, eu com vergonha, fechei o box, e fiquei por mais ou menos 10 minutos em baixo do chuveiro, só pensando no que eu ia fazer. Mas me lembrei que tinha levado ela para casa, pois ela ia me ajudar a escolher a lingerie para aquela noite, mas como ficar deste modo na frente de outra mulher que me deseja?
Decidi arriscar, sai do banho apenas de toalha, e logo que entro em meu quarto, a vejo, em minha cama, completamente nua, e se masturbando, me assustei com aquilo, sem ter o que dizer a ela, mas parecia que Jessy não se importava com a minha presença, pelo contrario, quando me viu, parecia que tinha ficado ainda mais excitada.
Ela parecia estar perto de gozar, sentia em seus gemidos altos, quando ela me pede para tirar a toalha, pois precisava ver novamente o meu corpo, eu não sabia o que fazer, era uma situação complicada e estranha, mas ela era a minha amiga, resolvi arriscar e participar daquela brincadeira dela, deixei a minha toalha, ela ia deslizando pelo meu corpo, até cair no chão junto de meus pés, meu corpo ainda estava molhado e agora todo arrepiado, pude perceber ao final da toalha caindo, que Jessy, começou a passar seus dedos, pela sua buceta ainda com mais vontade, enquanto ela olhava para mim, de repente, ela estende  sua outra mão, me chamando para mais perto dela, fico sem reação, e começo a pensar comigo, vou ou não vou?, depois de alguns segundos, pego na mão dela, e ela me puxa suavemente para perto da cama, começa a passar a mão pela minha perna direita, e sinto meu corpo ficar duro com a mão dela em mim. Ela pede que eu relaxe enquanto sinto o seu toque, ela tem uma mão suave e muito macia, ela me aperta na região da coxa, e posso sentir os meus músculos se contraírem com o toque dela.
Ela me olha com uma cara de tesão, e me pede que eu deite com ela, eu estou paralisada, sem saber o que fazer.
Ela se levanta e vai por trás de mim, começa a passar suas mãos pela minha nuca, e eu começo a relaxar com os seus toques, acabo indo para a cama com ela, deito de lado e ela também, neste momento ela esta me olhando nos olhos, eu nunca tinha percebido, mas os olhos dela cor de mel, são simplesmente lindos.
Jessy chega mais perto e me da um beijo bem molhado, sinto meu corpo se entregar totalmente a ela, enquanto ela sabe o que faz, começo a sentir minha buceta a ficar molhada.
Neste exato momento, meu celular toca, e ela esta lá em baixo na sala. Acordo, parecendo estar em um solo profundo, pulo da cama, em direção a minha toalha, me enrolo rapidamente nela, e desço correndo as escadas, quase caindo. Quando chego lá em baixo, e pego meu celular, ele para de tocar, mas vejo que tenho uma ligação perdida de Juan, e retorno à ligação.

– Juan?
– Oi querida.
– Me ligou?
– Sim. Quero te dizer que vou passar ai na sua casa, por volta das 19 horas e 30 minutos, pois quero te levar a um lugar especial, antes de sairmos.
– Mas, eu nem me arrumei, acabei de sair do banho, não vou conseguir ficar pronta ate as 19:30.
– Fica tranqüila, você é linda de qualquer jeito. Mas não vamos para a balada depois disto, podemos voltar para a sua casa, e depois você se arruma. Ok?
– Ta ok bebê.
– Tchau.
– Tchau.
E logo percebo que já são 18:00 horas, e tenho apenas uma hora e meia para me arrumar para Juan. Quando começo a subir as escadas em direção ao andar de cima, me lembro que Jessy ainda esta lá, e provavelmente me esperando para terminar o que começou.  Então decido esperar na cozinha, enquanto ela ainda esta no meu quarto. Vou ate a geladeira e pego um suco bem gelado, ela me deixou em transe com o seu beijo, que boca gostosa, penso comigo.
Não demorou muito e Jessy desse pelas escadas, sempre sensual e muito linda, ela chega perto de mim, e novamente me da outro beijo na boca, este mais demorado, molhada e com um puxão no meu cabelo que ainda esta molhada. Me solta chega perto do meu ouvido e diz.

– GOSTOSA.

Me arrepio toda com essa palavra. Ela se vira, caminha ate a sala, pega a sua bolsa e sai pela porta. Eu não posso nem se quer responder a ela, estou novamente paralisada com o que ela me disse. Mas me recordo que Juan irá passar, mas cedo para me buscar, então decido subir ate ao meu quarto, para me arrumar o mais rápido possível.
Com o celular na mão, recebo uma mensagem de Juan.

De: Juan
18:15

Amor estou saindo no trabalho agora, daqui a pouco passo ai para te pegar.
Te amo.

Fico ainda mais confusa com que roupa intima vesti, mas acabo experimentando quase todas que eu comprei, e decido ir com uma vermelha, fio dental, com pingentes do lado de morango que é comestível e um espartilho vermelho também.
Coloco meu vestido por cima e os sapatos, rapidamente dou um jeito de arrumar o cabelo, fazendo com que, ele fique ondulado nas pontas, meu cabelo é loiro, com mexas rosas ate a região da cintura, faço uma maquiagem leve, estou quase pronta, agora só me salta os acessórios. Pego a minha caixa de jóias, e escolho as que Juan me deu. Em menos de 40 minutos estou pronta para ele, do jeito que planejei.
Não demora muito ele chega, bem adiantado, mas chega.
Entramos no seu carro, e fomos em direção ao centro da cidade. Não demoramos muito, chegamos ao restaurante mais belo e mais caro da cidade, ele havia preparado tudo, e a nossa mesa já estava reservada, se eu soubesse que seria um restaurante chique deste jeito, jamais teria ido vestida do jeito que fui.
Mas enfim, sentamos a nossa mesa, fizemos os nossos pedidos, e ele então decidiu me contar com o que pretendia;

– Amor, eu preciso te contar algo.
– Diga bebê.
– Amanhã não vou trabalhar e vou passar o dia todo com você, mas quero começar a curtir o dia a partir de agora com você.
– Não vai mais? Poxa amor, muito obrigada por tudo isso.
– Não precisa agradecer. Mas tarde você terá outra surpresa, somente isso que posso lhe dizer.
– Outra surpresa?
– Sim.

Fico pensando no que possa ser, mas não consigo adivinhar de modo algum. Comemos, rimos, ele estava fazendo tudo ser perfeito, mas nada fora do comum, ele sempre me travava muito bem.
Decidimos ir embora, e já eram 21 horas e 30 minutos, não tínhamos mais tempo e dali, fomos diretamente para a balada, sorte minha que eu já tinha me preparado, pois, acabou nem dando tempo de eu voltar para casa, para me arrumar.
Fomos para a balada, e encontramos vários amigos lá, papo bem, papo vai, uma bebida, outra.
Estava tudo maravilhoso, mas eu estava a fim de ir para o motel com ele, precisava sentir o corpo dele em mim. Então decidimos ir.
Depois de 40 minutos estávamos no motel, também tudo reservado. Ele tinha pensando em tudo já. Perfeito.
Entramos na suíte, uma das melhores do motel, cheias de pétalas de rosas, musica suave de fundo, com um grande enorme com um de minhas fotos, com luzes de néon escrito parabéns minha linda.
Pensei comigo, como ele conseguiu fazer tudo aquilo em tão pouco tempo? Mas decidi curtir tudo.
Deitei na cama, e chamei ele, ele tirou os sapatos e o terno, pois ele estava de social, e deitou em cima de mim, já me olhando dentro dos olhos, começou a me beijar como se fosse a primeira vez, me beijava de uma forma suave, mas molhado, aquilo me deixava ainda mais excitada, ele percebendo que eu já estava totalmente em seu poder, resolve me da a tão sonhada surpresa de aniversario.
Ele começou a tirar a minha roupa, beijava meu corpo, me fazendo ficar arrepiada, tira a minha calcinha que preparei para ele, e posso ver em seus olhos a excitação ao me ver com aquela calcinha tão pequenina, ele então começou a passar sua mão pelas minhas pernas, chegando até a minha buceta.
Ele passa seu dedo em meu clitóris, me fazendo gemer baixo, ele então decidi penetrar seus dedos em mim, me sentindo totalmente molhada.
Começa a fazer movimentos de vai e vem dentro de mim, me fazendo gemer um pouco mais alto, ele então mude de posição ficando completamente em minha frente, abaixa-se e começa a passar a sua língua por minha buceta, gemo, e aperto a cabeça dele contra mim, fazendo com que seu cabelo fique todo bagunçado, ele começa a babar ainda mais em minha buceta, fazendo com que ela fique ainda mais molhada, ele me da mordidas, e novamente penetra seus dedos em minha buceta e agora ainda mais feroz.
Ele decidi então colocar uma venda em mim, não consigo enxergar absolutamente nada, percebo que a intenção dele é exatamente essa. Somente ouço o zíper de sua calça abrir, e já sinto o seu pau em minha boca, eu adoro chupar o pau dele, pois sei, que é um dos maiores desejos dele. Começo passando a minha língua pela cabecinha do pau dele. Então ele me ajuda a levantar da cama, e ficar de joelhos em sua frente, ele puxa meu cabelo fazendo com que meu rosto fique totalmente visível para ele. Pega seu pau, e bate ele de leve em minha cara.

– eu sei que você gosta disso.
– sim, eu adoro sentir o seu pau por mim. Respondo-o

Ele então coloca novamente seu pau dentro da minha boca, me fazendo engolir tudo, ele força e eu o sinto batendo na minha goela, ele força ainda mais e percebe que solto algumas lagrimas.

– não agüenta bebê?

Força novamente.
Começo passar lentamente sobre a cabeça do pau dele a minha língua, e percebo que ele geme bem baixinho, e vejo que aquela situação o deixa excitado. Ele novamente me ajuda a levantar e me coloca em cima da cama deitada e vem por cima de mim, ele então mete devagar em minha buceta, e eu posso sentir o pau dele entrando em mim centímetro por centímetro. Grito de tesão, ele parece estar querendo me torturar, ele começa a se movimentar lentamente; fazendo o movimento de entrar e sai, agora um pouco mais forte, com mais pegada, e sinto que o desejo dele só aumenta ao me ver daquele modo, de repente ele para, me puxa pelas mãos, amarra as minhas mãos e me coloca d4, fazendo com que me apóia-se apenas com os pulsos sobre a cama, fazendo com que eu ficasse totalmente empinada para ele. Ele começou a meter cada vez mais forte em minha buceta, e eu gemia, de uma forma louca, aquilo estava me excitando demais, ele metia, e gemia junto comigo, ele apertava a região da minha cintura e me dava tapas na bunda, enquanto metia, eu não conseguia pensar em outra coisa, o pau dele era uma delicia, eu queria era que ele me fodesse toda.
Ele acabou metendo mais forte ainda, e eu gemo e acabo gozando junto com ele.
Eu estava satisfeita, e estava esperando que ele fosse tirar a minha venda, mas não, ele me deixou naquela posição, e pude ouvir a porta abrir de fundo.
Ouvi vozes de outras pessoas e pensei comigo, o que será que ele esta fazendo ao me deixar aqui assim?
Quando menos espero, percebo que outras mãos tocam pelo meu corpo, e nenhuma delas é a de Juan, estranho, mas gosto da idéia de outros homens estarem me tocando, e me entrego para aquele sentimento de tesão, que não pude conter, quando me colocaram novamente de barriga para cima, e começaram a chupar os biquinhos dos meus seios, gemo, e gripo pelo nome de Juan, mas não o ouço me responder, apenas percebo que a musica de fundo, fica ainda mais alta. E aquelas mãos, me rodeiam. Me entrego totalmente a elas, afinal, não tenho muito o que fazer.
Sinto mãos me tocando nos seios, e outras em minha buceta. Quando alguém vem me beijar, porra que tesão, penso comigo.
Sinto novamente dedos me penetrarem na buceta, gemo baixinho, novamente, já estou toda molhada.
Sinto aquele movimento de vai e vem, enquanto alguém coloca o seu pau em minha boca, já não sei quem é quem, mas percebo que não pode ser Juan, ele não esta mais ali.
Quando sinto alguém metendo novamente em minha buceta, o pau dele era gostoso também, e ele sabia o que estava fazendo, enquanto metia na minha buceta, me segurava pelos seios, a pegada dele era mais leve que de Juan, mas uma delicia. Quando ele resolve meter ainda mais forte e ate o fundo, solto um grito.

– PORRA! ME FODE.

Ele atende meu pedido de forma sutil e começa a meter ainda mais rápido, ele me vira de lado e segura a minha perna para cima, enquanto me fode. Novamente sinto um pau em minha boca, e começo a imaginar quantos caras teriam ali dentro daquele quarto? Nossa que surpresa que Juan havia me preparado.
De repente ouço que o som de fundo se silencia, e a voz de Juan de fundo.

– esta gostando vadia?
Juan nunca tinha me tratado desta forma, era exatamente tudo o que eu mais queria, ser tratada como puta por ele.
Me puxaram pelos cabelos e eu não tive escolha a não ser levantar rapidamente. Percebo que fico de pé em frente a cama, quando alguém senta em minha frente, e me coloca sentada em cima do seu pau, e não tenho outro modo de reagir a não ser rebolar gostoso em cima dele, enquanto isso sinto, alguém atrás de mim, passando seu pau, pelo meu rosto e pescoço. Rebolo gostoso e gemo sem parar, ele se levanta, me segurando contra seu corpo e começa a meter comigo de pé, enquanto isso, sinto alguém passando a mão pelo meu cu, e vejo que naquele memento não posso fazer mais nada, apenas deixar fazer o que quiserem comigo.
Enquanto meto de pé, sinto um dedo entrando no meu cu, percebo que entrou fácil, e percebo o quanto eu estou querendo da o meu rabo, para ele.
Não demorou muito, e já estava mais do que preparada para dar tudo de mim.
Deitaram na cama, e me colocaram por cima, o pau dele se encaixou perfeitamente dentro da minha buceta, deslizando suavemente, enquanto me ajeito para receber o outro pau, que esta ansioso para entrar em meu cu. Ele ajeita o seu pau na entrada do meu cu, e começa a forçar, ele escorrega e entra gostoso.
E os dois começam a fazer movimentos, de entra e sai, porra que sensação é essa?, quero cada vez mais força entrando na minha buceta e no meu cu.

– CARALHO, ME FODE DIREITO SEUS FILHOS DA PUTA.

O que come meu cu atende meu pedido e mete com força no meu cu, enquanto o que fode a minha buceta se mantém no ritmo dele, fazendo com que eu fique louca, não demora muito e gozo no pau dele, o meu tesão me consome e eu não sei quem são eles, mas sei que me comem deliciosamente.
Sinto mais alguém se aproximando, coloca o seu pau em minha boca, enquanto estou sendo fodida por dois, mas posso sentir que este pau é de Juan, e ouço seus gemidos através dos meus.
Eles me fodem cada vez com mais força, e eu gemo de forma abafada por causa do pau de Juan em minha boca.
Quando o que esta fodendo o meu cu, começa a gozar tudo dentro do meu cu, e o que esta fodendo a minha buceta para por alguns segundos, para que eu possa sentir toda a porra do primeiro escorrendo em mim.
Ele então tira o seu pau do meu cu, e penso que acabou, Juan deixa a minha boca toda melada e vai lá trás e também começa a meter no meu cu, a pegada dele agora parece mais selvagem do jeito que eu gosto, não tinha dado o meu cu para ele ainda, mas percebo que ele me fode muito gostoso, e quero mais, com mais força, e ele me atende, fazendo com que eu grite de tesão.
O outro volta a foder a minha buceta, e eu posso sentir seu pau pulsando dentro da minha buceta, que esta escorrendo de tão molhada que esta.
O que esta comendo a minha buceta então resolve gozar, os dois param de me foder, mas percebo que ambos me colocam de joelhos no chão e chegam mais perto, começam a bater uma perto do meu rosto e não demora muito os dois gozam tudo em minha cara, fazendo escorrer pelo meu corpo. Delicia. Estou cheia de porra agora.
Percebo que o que gozou primeiro foi o que estava comendo a minha buceta, logo ouço o barulho da porta novamente se abrindo e fechando. Não entendo, mas Juan me solta logo após isso, e tira a venda dos meus olhos, me fazendo ver, que tudo esta como antes, nada fora do lugar. A sensação que ele me deu foi incrível, mas não pude perguntar nada a ele, fomos tomar um delicioso banho, pois precisava me lavar e relaxar um pouco depois deste delicioso presente que ele havia me dado. Via em sua cara de felicidade, que aquilo era o que ele mais desejava e fiquei muito feliz e satisfeita também. Não pude saber quem foi que fez aquilo comigo, por opção de Juan, mas foi melhor assim, presente dele, escolha dele.