AGRADECIMENTOS!

Olá Caro leitores do blogger.

Gostaria de agradecer a cada um de vocês pela visita e claro pelos comentários também. 
Graças a cada de um de vocês o blogger vem crescendo bastante em números de visitas e eu gostaria mesmo que cada um de vocês que passam por aqui deixassem um comentário, um oi, opiniões, sugestões de novos contos e tudo mais relacionado ao blogger. 

Se houver duvidas quem escreve, como escreve, porque escreve… mandem um e-mail para siih.contos@gmail.com, que logo estaremos esclarecendo todas as duvidas.
Mais uma vez agradeço a visita de cada um de vocês, e prometo que logo terá novidades, enquanto isso porque não me mandam mais e-mails ou adiciona no facebook, caso queira o meu facebook, me mandem um comentário ou um e-mail avisando que passarei e ai vocês me conheceram.

OBRIGADA A TODOS PELAS VISITAS E COMENTÁRIOS. BEIJOS, BEIJOS E BEIJOS DELICIAS!!! 

Minha primeira vez – Priminha

Eu nasci em uma família muito reservada, muito conservadora.

A família por parte do meu pai era uma família enorme e a da minha mãe nem tanto. Tinha tios e tias de todas as idades, primos e primas então nem se fala, quando tinha 14 anos eu viajei para o interior de São Paulo com os meus pais; pois meu pai tinha dois irmãos que moravam lá, Ribeirão preto. Não é muito longe de São Paulo, mas é um lugar bacana.

Eu ainda não os conhecia e muito menos os meus primos que moravam lá, devido a distancia, pois nessa época eu morava no Rio de Janeiro; enquanto a maioria da minha família morava em São Paulo e em Minas Gerais.

Muitas pessoas que moravam perto de nós sempre diziam para os meus pais tomarem muito cuidado em relação a mim, por mais que eu só tinha 14 anos eu tinha um corpo já de mulher e que já chamava muita atenção por onde passava. Meus pais não me deixavam sozinha de forma alguma, eles tinham medo do que poderia acontecer, eu era filha única, então a preocupação excessiva era sempre sobre mim.

Essa época que eu fui viajar para o interior de São Paulo com os meus pais, eu estava de férias da escola e como eu ainda não conhecia essa parte da família do meu pai eles resolveram me levar ate lá pra conhecer.

De começo nós fomos para a casa do meu tio Celso e da esposa dele a Maria, eram pessoas super de boa, super legais e eu posso dizer que adorei eles de uma forma sem igual, eles tinham três filhos, a Lisa, a Manuella e o Manuel, super maneiros e nada mimados, o Manuel era o mais velho com 16, depois vinha a Lisa com 14 e por ultimo a Manu com 10 anos, ficamos na casa deles por três dias, era o que o nosso cronograma permitia, pois precisávamos ainda ir para a casa da minha tia Wanessa.

E assim foi feito, na manhã do quarto dia, saímos logo cedinho e fomos pra casa da minha tia, a minha tia era mãe solteira e tinha apenas um filho o Eduardo.

No carro meus pais foram falando do da minha tia e do meu primo pelo caminho todo, ate eu pegar certo ódio de tanto que eles falavam que eles eram super educados e que o Eduardo era o filho que eles queriam ter, caso tivessem mais um filho. O Eduardo tinha 17 anos, e completaria 18 por aqueles dias, e minha mãe sempre elogiando muito ele, dizendo que era um garoto exemplar e muito bonito, eu nos meus auges de 14 anos só queria chegar logo e comer, afinal essas visitas de anos resultam e muitas comidas boas e saborosas.

Eu não havia tido nenhum namorado, eu apenas ficava com alguns garotos da escola, mas nada muito serio, apenas beijinhos molhados e excitantes como eles mesmo diziam, eu era super apaixonada pelo Diego um garoto da minha sala, mas ele era o tipo de nerd que não pensava em se apaixonar por ninguém, só pensa em fazer os trabalhos escolares e estudar.

Enfim, quando chegamos na casa da tia Wanessa; eu percebi que tudo aquilo que os meus pais falavam era verdade, a minha tia era simplesmente maravilhosa, linda demais e sim super educada. Gostei dela logo quando eu a vi esperando por nós no portão. Entramos fizemos toda aquela sala, e ate então não tinha conhecido o meu primo, porque ele estava na academia, ele treinava boxe e passava a maior parte do tempo na academia.

Nisso o dia foi se passando, nós nos ajeitamos e quando foi à noite o meu primo Eduardo chegou… Quando ele entrou pela porta e eu o vi, fiquei em choque com tamanha beleza, ele era muito gato, alem de ser forte devido aos treinamentos. Cumprimentamos-nos; ele falou com os meus pais e pediu licença para subir para guardar as coisas dele e já descia para conversar com nós, eu estava em choque com aquele garoto, com aquele garoto poderia ser o meu primo e eu nunca tive a oportunidade de conhecê-lo.

A nossa viagem se resumiu a isso, ficamos por três dias lá também, e depois fomos embora de volta para a casa, mas é claro agora eu tinha o numero dele e ele o meu, durante todo o tempo nós fomos conversando e crescendo juntos através de ligações e mensagem, muitas vezes esquecíamos que éramos primos e que tinham o mesmo sangue, existia tanta cumplicidade e amizade entre nós que com o passar do tempo isso só ia aumentando.

Nesse tempo que íamos se falando passou-se três anos, eu com 17 anos e ele com 20 anos, e ele decidiu que precisava me ver, precisava-me da um abraço já que fazia tanto tempo que a gente não se via, e é claro que eu topei na mesma hora, eu amava o meu primo e sei que aquele sentimento era recíproco.

Ele fazia faculdade e não poderia ficar muito tempo, não mais do que um final de semana, e mesmo assim ele saiu de lá na quinta-feira à noite e chegou em casa na sexta-feira de manhã.

Em casa foi uma festa os meus pais adoravam ele, porque ele era sempre super bem educado e criado, pelo menos era isso que eles diziam, meu pai confiava tanto nele, que deixava ele dormir junto comigo no meu quarto, coisa que ele não deixava ninguém, nem se quer minhas amigas de infância.

Na sexta-feira a tarde levei ele pra sair e conhecer alguns pontos turísticos aqui do Rio de Janeiro, ele estava simplesmente maravilhado com tudo, e eu amando esta com ele ali. A confiança dos meus pais nele era tão grande que tudo o que queríamos fazer mesmo que longe da minha casa meus pais deixavam.

Ate que no sábado eu fui convidada para ir á uma festa e claro que se o meu primo não estivesse lá, os meus pais não me deixariam ir, porque era uma festa de adolescentes, a onde eles sabiam que ia rolar bebidas e sexo; mas é claro que menor de idade não entrava naquela festa, devido ao tanto de coisas proibidas que iam ter ali, e pra minha sorte sábado também era o meu aniversario de 18 aninhos de pura gostosura, era como os garotos da minha rua sempre diziam. Fui liberada para ir a festa com o meu primo pelos meus pais, e claro que chegando na festa, bebemos muito, curtimos muito e eu vi meu primo beijando umas três garotas enquanto o meu tesão por aquele garoto ia aumentando, sim, eu sei que ele era somente o meu primo, mas eu ia fazer o que se aquele cara era lindo e gostoso demais.

Eu fiquei sentada no sofá do lado de fora, enquanto eu olhava fixamente pra ele, comecei a sentir coisas quentes pelo meu corpo, coisa que ainda não tinha sentido por ninguém.

Foi quando ele terminando de beijar e menina me olhou e ai foi fatal aquele olhar penetrando a minha alma, ele veio em minha direção e claro já levantei já sabia o que ia vir depois daquele olhar, quando ele chegou perto ele me disse…

– Eu se que somos primos, mas eu te desejo desde a primeira vez, sou louco por você e sei que so depende de você aceitar isso. Podemos esquecer por essa noite que somos primos e você de me deixa eu te levar pro céu.

E claro que aquilo me arrepiou a alma e não tinha como falar que não.

– Eu quero da pra você Eduardo, fode a sua prima bem gostoso, mas deixa eu te contar uma coisa, sou virgem, e mesmo você sendo do interior, quem é santinha aqui sou eu. Vamos subir sei a onde tem um quarto aqui pra você me comer bem gostoso.

E ele me beijou, um beijo molhado, quente e muito excitante, fomos subindo pela escada da casa enquanto ele ficava beijando o meu pescoço e eu me entregando aos poucos para ele.

Chegamos no quarto.

– Fecha a porta primo, não quero que ninguém atrapalhe esse momento, o momento que eu espero por tanto tempo.

E ele fechou a porta, e já veio na minha direção me jogou na cama e já veio por cima, começou a me beijar, eu estava super relaxada e me entreguei completamente a ele, só queria que ele fodesse gostoso a minha buceta.

Ele desceu completamente, tirou minha sandália e começou a beijar os meus pés, a boca dele era macia, o fogo que eu estava sentido só aumentava a cada beijo dele, eu estava de vestido bem curto, então ele continuou subindo beijando as minhas pernas, beijou centímetro por centímetro, ate que chegou na minha bucetinha, tirou a minha calcinha devagar, e levantou o meu vestido.

– Nossa priminha, que buceta linda… Posso cair de boca nela, pode

– Você deve!!!

Peguei ele pelo cabelo e puxei em direção da minha buceta, e logo senti a primeira linguada dele, me arrepiei toda, a boca dele estava bem quente e eu queria sentir aquela boca me chupando igual eu via nos filmes pornôs e claro que ele me chupou com tanta vontade, que eu acabei gozando na boca dele, eu nunca tinha feito isso, mas o tesão era tanto que eu não agüentei, depois de ter gozado na boca dele, ele  me levantou e tirou a calça e a cueca e então pude ver o que ele ia usar pra me foder tão gostoso, confesso que naquela hora o medo bateu, apesar de estar tudo tão gostoso, eu era virgem e o medo as vezes me perseguia.

– Prima, vem com calma, quero primeiro sentir a sua língua no meu pau e depois eu vou botar ele todo na sua boca. Abre a boca e coloca a língua pra fora.

Fiz o que ele pediu e pela primeira vez senti a cabecinha da piroca de alguém, eu estava louca de tesão e não agüentei ficar só naquilo, peguei o pau dele com vontade e já logo meti na boca e ouvi ele suspirando, estava fazendo igual eu tinha visto nos filmes pornôs e podia ouvir ele gemendo gostoso, ele não me deixou chupar ele por muito tempo, tirou o meu vestido para não sujar, me deitou novamente na cama, e eu abri as pernas pra ele me penetrar.

Ele se ajoelhou na cama, e começou a passar a cabecinha lentamente pela minha buceta, passou no meu clitóris, passou na entradinha da dela, depois voltou novamente no clitóris, e depois acertou a cabecinha do pau dele na entradinha da minha buceta, respirei fundo nesse momento.

– Vai com calma primo, sou virgem e tenho medo de doer.

E ele apenas me olhava fixamente, e foi botando super devagar o pau na minha buceta, eu sentia um desconforto, as vezes uma dor, mas eu estava muito excitada pra mandar ele parar e quebrar o clima, deixei que ele fossse com o pau ate o final da minha buceta, quando ele terminou de colocar tudo, ele esperou um pouco para que eu me acalmasse, respeitei fundo novamente.

– Primo, mete devagarzinho nessa buceta que agora é todinha sua.

Percebi que ele havia ido ao delírio com isso, mas mesmo assim ele fazia tudo o que eu pedia e foi metendo muito devagar, tirando e botando, tirando e botando, tirando e botando, ate que ele percebeu que eu já estava sentido tesão, sem eu precisar falar absolutamente nada ele foi aumentando o ritmo de botar e tirar da minha buceta, já estávamos louco de tanto tesão. E ele foi aumentando cada vez mais a velocidade e meter na minha buceta.

– Priminha você é gostosa demais, Puta.

– Me fode gostoso, fode…

– Adorei saber que eu tenho uma priminha que é putinha e agora é todinha minha e do meu pau.

 – Adorei saber que eu tenho um primo tão gostoso e que vai me foder sempre que eu quiser.

E ele continuou metendo gostoso na minha buceta, aquele movimento de vai e vem frenético, acabei gozando novamente no pau dele, e claro ele por sua vez também gozou, ambos gemiam demais durante a transa, nos beijamos muito depois de ter metido tão gostoso, nos arrumamos e descemos para a festa como se nada tivesse ocorrido, mas sabíamos que aquilo aconteceria de novo a qualquer momento na festa ou ate mesmo em casa, afinal nós dormíamos no mesmo quarto, porque os meus pais confiavam nele.

E assim foi feito, quando chegamos em casa naquela manhã, fomos direto para o meu quarto dormir, e não resistimos um ao outro e novamente transamos gostoso, só que dessa vez ele me pegou d4, puxou o meu cabelo e meteu, meteu tanto na minha buceta que eu me senti totalmente arrombada, terminamos de transar, ele foi tomar um banho e eu cai de sono na cama.

Quando acordamos os meus pais já estavam no meu quarto, esperando para levar ele embora, eu não fui levar ele ate o aeroporto, porem ajudando ele a arrumar as coisas dele, para ele ir embora, enquanto os meus pais estavam la em baixo tomando café, ele me comeu de novo, afinal a distancia que ia nos separar era grande demais.

Ele estava deitado no chão enquanto eu subi em cima dele e cavalgava gostoso demais, eu queria gritar de tanto tesão que estava sentido, mas tinha que fazer silencio absoluto para que os meus pais não ouvissem ele me fodendo tão deliciosamente daquele jeito, e assim dei mais uma vez para o meu primo que me fodeu com tanta vontade.

Dei um beijo na boca dele bem molhado e me despedi dele daquela forma, sim, me despedi dele dando gostoso, e no domingo ele foi embora.

No dia seguinte quando ele chegou em casa, me mandou uma mensagem dizendo que já estava louco de tesão para me ver de novo e comer a priminha deliciosa dele, e claro não resisti e já mandei uma foto da minha buceta toda molhadinha esperando ele voltar.

Isso tudo aconteceu há 2 anos, e ate hoje nas férias ou ele vem pra ca, ou eu vou pra lá e eu dou gostoso pra ele, enquanto ele me fode sem parar, nascemos assim fogosos e loucos para transar, e assim que perdi a minha virgindade, com o meu primo do interior, louca para dar ainda mais e sempre para ele.